Conheça iniciativas de combate à desigualdade

Por: Redação Comunicar erro

O Índice de Pobreza Multidimensional, um estudo com dados do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), revela que cerca de 1,3 bilhão de pessoas vivem em situação de pobreza no mundo. Metade desse número é de indivíduos com menos de 18 anos. 46% do total de pessoas em situação de pobreza estão vivendo em extrema miserabilidade no planeta.

No Brasil os dados também são alarmantes. A Síntese de Indicadores Sociais (SIS), divulgada em dezembro de 2018 pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que em 2017 eram 54,8 milhões de pessoas em situação de pobreza no país, sendo que 7,4% desse total estava abaixo da linha de extrema pobreza.

Diante deste quadro, as iniciativas sociais, sejam elas de pequeno ou grande porte, fazem toda a diferença. Conheça algumas delas!

Sou Corderosa

O projeto Sou Corderosa, da Pampili, marca de roupas infantis, busca ajudar meninas em situação de vulnerabilidade. A ação, que faz parte do movimento global Por Ser Menina e articulada junto à ONG Plan International, destina parte das vendas de diversos produtos da marca às crianças beneficiadas pela organização não-governamental.

Apadrinhe uma Criança

Projeto da Plan International, o “Apadrinhe uma Criança” apoia projetos que garantem conscientização e combate à violência contra crianças, sobretudo em áreas mais carentes do país, permitindo que elas transformem suas vidas. O “padrinho” ou “madrinha” acompanha o progresso da criança por meio de correspondências e fotos.

Cálice Edição Limitada

Você já imaginou como seria não ter diariamente à sua disposição água potável para beber, ou mesmo para cozinhar, tomar banho e escovar os dentes? Essa é a realidade de milhões de pessoas no mundo, e a cervejaria Stella Artois, em parceria com a Water.org, desde 2015 articula a ação Cálice Edição Limitada: cada cálice comprado pode ser revertido em até 5 anos de água potável para uma pessoa.

Project Dignity

Milhares de meninas africanas deixam de frequentar a escola por conta da falta de recursos para comprar absorventes durante a menstruação. Algumas chegam a utilizar areia, plástico e até folhas de jornal para conter o sangue. A ONG Project Dignity oferece às meninas absorventes reutilizáveis e calcinhas, e o kit tem duração de aproximadamente cinco anos. Além de permitir a volta aos estudos, o projeto busca dar dignidade e respeito às meninas

Compartilhe: