Jovem nigeriana surpreende com teste para otimizar eletricidade

Por: Redação |

A nigeriana Harine Ravichandran surpreendeu muita gente em 2011, quando foi premiada por uma descoberta envolvendo eletricidade. Ela tinha, na ocasião, entre 15 e 16 anos. A adolescente condicionou linhas de força usando reguladores de voltagem.

Adolescente nigeriana Harine Ravichandran surpreendeu com seu teste para otimizar eletricidade

Ela foi finalista do Google Science Fair, um evento em que 15 jovens de todo o mundo, de 13 a 18 anos, criam seus projetos na sede da gigante da tecnologia, na Califórnia, para que juízes e o público em geral vejam.

“De todos os problemas de qualidade de energia conhecidos, as quedas de tensão são os que causam maior preocupação”, afirmou a garota em seu projeto. “Elas ocorrem com mais frequência do que interrupções e, portanto, tendem a ser mais caras para a indústria de alta tecnologia, já que equipamentos técnicos modernos precisam de uma voltagem de boa qualidade.”

Ravichandran contou que, quando morava em uma pequena cidade na Índia, experimentava essas flutuações de voltagem com frequência. “A falta de fornecimento de tensão de boa qualidade afetava a iluminação e, muitas vezes, outros aparelhos”, relatou. “Esse problema, eu percebi, era mais pronunciado nas áreas rurais, onde as crianças não podiam ler depois do pôr do sol e os fazendeiros não podiam irrigar seus campos usando motores.”

Ela acrescentou que existem, também, muitas áreas remotas no mundo onde até os hospitais não recebem voltagem de boa qualidade e que sua invenção pode ser especialmente útil nessas situações. “Como o inversor pode ser alimentado por fontes de energia localmente disponíveis, como biomassa e energia solar, ele pode ser usado para fornecer tensão confiável a esses locais.”

Adolescente nigeriana Harine Ravichandran surpreendeu com seu teste para otimizar eletricidade

Ao apresentar sua ideia, a menina explicou que, embora a queda de tensão seja apenas de curta duração, os equipamentos sensíveis podem funcionar incorretamente. Ela pesquisou o método atual utilizado –o inversor de seis etapas. “Tem algumas desvantagens. Ele está conectado à linha de energia usando transformador, o que, por sua vez, reduz a eficiência e aumenta o custo. É menos confiável.” Para contornar as limitações do inversor, Ravichandran tentou combinar sua potência de saída com um circuito de controle menos complexo. O resultado foi satisfatório.

Todos os dias, o Quem Inova apresenta o talento de crianças e adolescentes que conceberam as invenções mais interessantes, úteis e curiosas pelo mundo.

Compartilhe: