Mulheres desafiam a norma e se tornam guias em reservas de safári

Por: Redação |

Fazer safári na África do Sul e conhecer a incrível savana do país é uma experiência que tem despertado fortemente o desejo de muitos brasileiros. Para garantir que essa atividade seja aproveitada ao máximo, um fator fundamental é ter guias bem preparados.

Chamados por lá de ranger, conhecem a fauna e a flora locais como a palma da mão, e são responsáveis por compartilhar seus conhecimentos com os visitantes, além de garantir a segurança do grupo.

O Sabi Sabi Private Game Reserve, na África do Sul, conta com uma equipe de guias mulheres

Nas últimas décadas, esse papel tão importante foi sempre reservado para homens, mas alguns hotéis de safári, como o Sabi Sabi Private Game Reserve, localizado ao sudoeste do famoso Kruger National Park, vêm trabalhando para mudar essa realidade.

A carreira de ranger sempre foi vista como árdua, dura e muito perigosa para mulheres, mas felizmente este cenário está mudando e elas começaram a quebrar barreiras, assumindo cada vez mais profissões antes dominadas por homens.

Buscando também romper com essa realidade excludente, o Sabi Sabi tomou a dianteira anos atrás ao treinar e contratar mulheres apaixonadas por natureza e conservação, profissionais extremamente competentes que se tornariam suas primeiras rangers mulheres.

O Sabi Sabi tomou a dianteira anos atrás ao treinar e contratar mulheres

Atualmente o time de guias do Sabi Sabi tem seis mulheres –Chanyn-Lee Zeelie, Kerry-Lee Roberg, Louise Murray, Lee Swart, Angelique Borlinghaus e Ally Ross. Para muitas delas, o sonho de se tornar ranger começou na infância com o amor pela natureza, pelos animais e pelo meio-ambiente, mas as possibilidades de trabalhar em meio à savana eram poucas e distantes.

O treinamento para se tornar ranger é árduo, e nada foi feito para que ele fosse de alguma forma mais fácil para elas.

Sem distinção para homens e mulheres, o treinamento garante que os rangers sejam profissionais completos, capazes de receber bem seus hóspedes, manobrar potentes 4×4, trocar pneus, conduzir caminhadas pela savana, garantir a segurança dos hóspedes, e, é claro, ser sociáveis e capazes compartilhar seus conhecimentos com visitantes vindos de todas as partes do mundo, pessoas com histórias e culturas completamente diferentes.

Compartilhe: