Startup instala quartos nas rodovias para caminhoneiros

Plataforma de economia colaborativa quer salvar vidas nas estradas

Por: Redação Comunicar erro

Em 2011, o Brasil assinou compromisso junto a OMS (Organização Mundial da Saúde) e ONU para a redução de 50% da violência no trânsito. A conhecida Lei dos Caminhoneiros é uma das ações federais previstas para minimizar o índice de mortes nas estradas.

Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), nas duas últimas décadas 400 mil pessoas morreram e dois milhões ficaram incapacitadas por conta de acidentes nas estradas do país.

Crédito: DivulgaçãoPlataforma de economia colaborativa quer salvar vidas nas estradas com instalação de quartos

De acordo com a Lei dos Caminhoneiros, a cada cinco horas rodando, o motorista deve para o descanso de no mínimo meia hora. Mas aonde estão as instalações que obrigatoriamente devem acolher o motorista?

Diante deste cenário assustador, a startup SleepBoll está investindo na instalação de cabines para dormir e cochilar em algumas rodovias do país. O projeto atende postos de combustíveis e praças de pedágio.

Crédito: DivulgaçãoProtótipo instalado em um posto de combustíveis na BR-386 em Nova Santa Rita (RS)

O primeiro protótipo foi instalado em um posto de combustíveis na BR-386 em Nova Santa Rita (RS). São cabines de dormir no formato modular, com climatização e automação embarcados, podendo ser reservada online ou locada diretamente no local.

“A utilização pelo caminhoneiro pode ser por minutos ou horas. O resultado para a sociedade é a inovação pela economia colaborativa, que elimina intermediários e desmonetiza os usuários finais, permitindo acesso direto pelo aplicativo (app.sleepboll.com.br). A limpeza, segurança e espaço, ficará a cargo do cedente que fará a cessão do local”, comenta Luciano Paixão, diretor da SleepBoll.

Lei dos Caminhoneiros
Crédito: DivulgaçãoInovação implementa quartos nas rodovias visando a Lei dos Caminhoneiros

Em junho próximo será realizada uma chamada para a captação conjunta de investidores por meio de financiamento coletivo para a aquisição e disponibilização das cabines. A plataforma vai administrar a logística da demanda junto às gerenciadoras de riscos, transportadoras e convênio com os caminhoneiros autônomos, assim como viajantes e público em geral.

Compartilhe: