A importância do fluxo de caixa para micro e pequenas empresas

Descubra como um fluxo de caixa organizado pode contribuir para o sucesso do seu empreendimento

Por: Publi |

Empresários de pequeno porte que organizam a contabilidade tendem a garantir sustentabilidade do negócio. O grande aliado para isso é a implementação do fluxo de caixa que nada mais é do que o controle financeiro da empresa. Todo o movimento de entrada e saída precisam estar computados para manter a saúde do empreendimento.

Crédito: IstockOrganizar o fluxo de caixa é o primeiro passo para a saúde financeira da sua empresa

Segundo o gerente de capitalização e acesso a serviços financeiros do Sebrae, Alexandre Comin, “toda empresa, mesmo tendo muitos pontos positivos, corre o risco de naufragar se não houver um mínimo de controle sobre o fluxo de caixa”. Quer dizer, ter um fluxo de caixa é vital para o sucesso do negócio.

Entenda o movimento do Fluxo de Caixa, composto pela entrada e saída de recursos financeiros da empresa.

Crédito: Arte Catraca/Lucas RodriguesMovimento do Fluxo de Caixa

A diferença entre receitas e despesas, resulta no lucro líquido. Com isso, é possível saber se há maior ganho mais ou perda de dinheiro, num determinado período.

Normalmente, o levantamento é feito mensalmente, mas pode ser semanal e até diário, dependendo da movimentação do caixa.

Para implementar o fluxo de caixa não é necessária nenhuma ferramenta muito elaborada. “Basicamente, você precisa ter uma cadernetinha, ou um papel. A gente brinca que pode ser até uma folha de papel de pão”, compara Comin. Também serve uma planilha eletrônica do Excel ou algum aplicativo. O importante é usar uma ferramenta na qual consiga relacionar, entrada por entrada, ou seja, venda por venda e saída por saída.

Fluxo de caixa X saúde financeira da empresa

Por meio do controle de fluxo de caixa é possível saber qual o tamanho da receita da empresa e quanto pode ser gasto sem ficar no vermelho. O gerente do Sebrae comenta: “A gente brinca, às vezes, que o procedimento é o exame de sangue. O primeiro diagnóstico que normalmente se faz. O fluxo de caixa é um ‘exame’ que tem que ser feito sempre, periodicamente, independente se você está se sentindo bem ou não. É aquela coisa, se você não tiver nem o exame de sangue você não tem como dizer nada sobre o paciente”.

Alexandre Comin explica que o retorno financeiro depende essencialmente disso. “Você pode até dizer: ‘ah, mas é muito difícil fazer fluxo de caixa!’, Não é não. Hoje em dia, com diversos aplicativos, eu diria que qualquer pessoa pode fazer”. E, acrescenta: “Claro, para uma empresa grande é preciso contratar um contador, pois é muito complexo, mas para uma empresa pequena, que tem uma atividade mais reduzida, não é difícil de fazer”.

O Sebrae fornece um conjunto de soluções, como oficinas, palestras, cursos e até mesmo consultorias. O curso EAD “Como controlar o fluxo de caixa” é uma opção para obter capacitação sobre o tema. Em apenas duas horas você vai compreender como usar o controle de caixa no dia a dia do seu empreendimento. Clique aqui e saiba mais.

Como executar a movimentação financeira

As entradas precisam ser somadas ao fim do dia, semana ou mês. O que não é  complexo para pequenos negócios, que em geral, não contam com uma enorme gama de produto e/ou serviços.

No caso das receitas, um relatório especial de financiamento das MPE (Micro e Pequena Empresa), realizado em 2017 apontou que quase a metade dos empreendedores já opera com cartões de crédito e débito. Nesse caso, o próprio cartão é uma ferramenta que ajuda em parte do fluxo de caixa, muitas até emitem extrato de todas as vendas.

Já as saídas, em geral, são menos numerosas, por isso é recomendado que o empreendedor identifique exatamente todas as fontes de despesas como:

●             Contas de consumo: conta de luz, água, telefone, internet.

●             Custos com fornecedores

●             Prestadores de serviços para empresa

●             Custos com funcionários

●             Tributos

Controle em uma contabilidade separada a gestão financeira, ou seja, empréstimo. Uma verba que não pode ser considerada como receita. Em compensação o pagamento fracionado desse empréstimo é considerado uma saída. Essa despesa financeira tem que entrar no seu fluxo de caixa também, porque é um gasto que tem que ser pago a partir das receitas que entram.

Veja o que não fazer no seu negócio:

Entenda como melhorar seu dia a dia
Crédito: Catraca Livre/Lucas RodriguesEntenda como melhorar seu dia a dia
Não coloque seus gastos no seu negócio
Crédito: Catraca Livre/Lucas RodriguesNão coloque seus gastos no seu negócio
Separe o tipo de gastos
Crédito: Catraca Livre/Lucas RodriguesSepare o tipo de gastos

Vantagens do fluxo de caixa para uma boa gestão

O fluxo de caixa ajuda a empresa a identificar e reagir rapidamente a uma situação financeira desfavorável.  Ao perceber que as receitas estão caindo, consegue estabelecer alternativas para reduzir as despesas a fim de que caibam dentro da receita mensal.

Crédito: IstockO fluxo de caixa em dia ajuda a empresa reagir rapidamente à situações de crise

Até em casos de fechamento da empresa o fluxo de caixa auxilia, pois é possível encerrar as atividades dentro de um planejamento, sem ficar com nome sujo na praça. Assim quando o empreendedor desejar voltar a abrir um negócio não estará com o nome sujo na praça. Esses e outros planejamentos você conhece nos cursos EAD gratuitos oferecidos pelo Sebrae, clique aqui.

Compartilhe:

Tags: #Cursos