Turismo adaptado e acessível para pessoas com mobilidade reduzida

Diferentes destinos de aventura oferecem passeios e estrutura para atender turistas com necessidades especiais

Por: Publi | Comunicar erro

Quando se trata de decidir para onde viajar, a acessibilidade é uma questão decisiva para quem tem restrições de mobilidade. Imagina fazer turismo de aventura se você está em uma cadeira de rodas ou usa muletas para se locomover… Impossível? Não mesmo! Muitos destinos turísticos do Brasil tem se atentado à questão da inclusão e se adaptado para receber pessoas com diferentes tipos de deficiência ou mobilidade reduzida.

Há corrimãos de acesso a cachoeiras em Bonito (MS), rapel adaptado em Brotas (SP) e até projetos que levam cadeirantes para tomar um banho de mar em diversas praias do Brasil.

Iniciativas como essas que promovem a inclusão de todos precisam ser cada vez mais apoiadas por marcas, governos e inciativa privada. É o caso da fabricante de veículos Volvo, que tem um programa que busca dar mais autonomia em deslocamentos a quem tem dificuldades de locomoção.

Por meio do Volvo for All, a montadora dá a pessoas com deficiência a chance de pagar menos por um carro importado. A isenção de IPI vale para todos os modelos de sua marca: um jeito de ampliar a liberdade e o direito de ir e vir de todos.  Saiba mais no site e acompanhe no vídeo abaixo como funciona o processo de isenção.

Para incentivar TODOS a viajar mais, selecionamos alguns dos destinos brasileiros preparados para receber pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida. Confira abaixo e pé na estrada!

Brotas – SP

pessoas descendo a corredeira de boia

A capital nacional do turismo de aventura, Brotas, no interior de São Paulo, tem investido em acessibilidade nos últimos anos. Vários parques hoje contam com trilhas e cachoeiras adaptadas para receber cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção. São trechos com corrimão e mais amplos para facilitar a passagem de cadeiras de rodas.

Por lá, também há agências especializadas em rafting adaptado. O percurso é o mesmo do convencional, com pequenas alterações em procedimentos operacionais.

Como chegar

Partindo de São Paulo, são 250 km até Brotas. O acesso pode ser feito pela Rodovia dos Bandeirantes, BR-364 e BR-369.

Socorro – SP

cadeirante sendo transportado em um carrinho de turismo

Localizada a 130 km da capital paulista, Socorro é referência no turismo acessível. A cidade conta com sinalização tátil, elevadores, rampas e barras nos pontos turísticos, além de realizar ações de fiscalização nos estabelecimentos para garantir que todos tenham rampas de acesso dentro das normas de segurança. O turismo de aventura acessível também é uma realidade por lá.

A estância hidromineral da cidade conta com adaptações em diversas atrações. Hoje, das mais de 20 atividades de aventura, dez já foram adaptadas e podem ser praticadas por cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida.

Como chegar

De São Paulo, é possível seguir pela Fernão Dias até Bragança Paulista e depois pegar a Rodovia Capitão Barduíno.

Também há a opção de ir Via Anhanguera ou Bandeirantes até Jundiaí (Trevo de Itu), seguindo para Itatiba, Bragança Paulista e, enfim, Socorro.

Campos do Jordão – SP

vista de cima da cidade de Campos do Jordão

Um dos destinos turísticos mais procurados durante a temporada de inverno, Campos do Jordão também é uma cidade com opções que atendem pessoas com mobilidade reduzida. O Parque do Capivari, por exemplo, passou recentemente por uma reforma em sua estrutura para receber rampas de acesso. Já o Centro de Lazer Tarundu, uma espécie de clube, oferece algumas opções de lazer e adrenalina adaptáveis aos cadeirantes, como passeio de charrete, paint alvo, escorrega boia e tirolesa.

Como chegar

O principal acesso saindo de São Paulo é a Rodovia Presidente Dutra, sentido Rio de Janeiro. Na altura do km 118, pegue a SP-123, principal rodovia de acesso à cidade.

Saindo do Rio de Janeiro, o acesso é feito pela BR-116 (Rodovia Presidente Dutra) até o km 117, logo depois de Taubaté, onde há uma saída para a SP-123 (Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro).

Ilhabela – SP

vista aérea de Ilha Bella

Em Ilhabela, pessoas em cadeiras de rodas também podem tomar um banho de mar. Praias como a do Perequê, do Sino e Praia Grande contam com cadeiras anfíbias de pneus flutuantes que transportam o banhista até o mar. Na cidade, há ainda agências que organizam passeios adaptados para pessoas com deficiência.

Como chegar

Saindo de São Paulo, é possível chegar seguindo pelas rodovias Ayrton Senna / Carvalho Pinto (SP 70) e Presidente Dutra (BR 116) no sentido norte. Em São José dos Campos, pegar a saída para a Rodovia dos Tamoios (SP 99), no sentido Litoral. Em São Sebastião, pegara  balsa para Ilhabela.

Parque Nacional Serra do Cipó – MG

vista aérea da Serra do Cipó

Famoso por sua beleza natural que encanta turistas e pesquisadores do mundo todo, o Parque Nacional Serra do Cipó também está preparado para receber pessoas com deficiência física. Localizado na região central de Minas Gerais, ele abriga incontáveis quedas d’águas, rios, córregos, montanhas e sítios arqueológicos. O Circuito das Lagoas conta com um terreno plano, e uma rampa facilita o acesso de cadeirantes a um mirante com vista privilegiada.

A região da Serra do Cipó ainda é atendida pelo projeto Montanha para Todos, que disponibiliza uma cadeira criada especialmente para os aventureiros com deficiência. O equipamento permite que essas pessoas tenham acesso a trilhas de difícil acesso e fica disponível para reserva pelo e-mail parna.serradocipo@icmbio.gov.br. O projeto também está disponível de maneira gratuita em outras cidades. Conheça mais aqui.

Como chegar

Localizado a 100 km de Belo Horizonte, a Serra do Cipó pode ser acessada pelas rodovias MG-10 e MG-424. A rodovia MG-10 está asfaltada até o km 100. A entrada para a sede do Parque Nacional da Serra do Cipó é feita no km 94 da rodovia MG-10, e a distância até o asfalto é de  aproximadamente 3 km.

Bonito – MS

rio em Bonito

Um dos destinos de ecoturismo mais procurados do país, Bonito possui inúmeros rios cristalinos, cachoeiras, grutas e atividades esportivas. Muitas delas são acessíveis para pessoas com deficiência. No Abismo de Anhumas, os cadeirantes podem se aventurar em um rapel. Já no Rio Sucuri e na Baía Bonita, é possível fazer flutuação na companhia de um guia e um barco de apoio. A cidade também conta com piso tátil, calçadas largas antiderrapantes, rampas e faixas sinalizadas.

Como chegar

Bonito fica a 300 km de distância de Campo Grande. O caminho pode ser percorrido pela BR-060/419 ou pela BR-262/419.

Fortaleza – CE

cadeirantes entrando no mar com cadeira anfíbia

A praia de Iracema, uma das mais famosas de Fortaleza, conta com o programa Praia Acessível, que possibilita banho de mar para pessoas com deficiência ou dificuldades de locomoção. Para isso, são utilizados esteira de acesso e cadeiras anfíbias para o mergulho.

A área também conta com estrutura para vôlei e frescobol adaptados e banheiro acessível. O projeto funciona de quarta a domingo, das 9h às 14h, e, no período de alta temporada (janeiro, julho e dezembro), de segunda a segunda, das 9h às 14h.

Como chegar

Para quem vai a partir do Sul, do Sudeste e das capitais do Nordeste (exceto Teresina e São Luís): acesso pela BR-101 (até Natal), BR-406, BR-304 e BR-116. Pelo Maranhão, o acesso é pela BR-135, BR-316 (até Teresina), BR-343 e BR-222. Saindo do Piauí, o acesso é pela BR-343 e pela BR-222.

Maceió – AL

cadeirantes dentro de jangadas com cadeiras de rodas

As praias paradisíacas da capital alagoana são opções de passeio para pessoas com deficiência física. O projeto Praia Acessível também oferece banhos de mar assistido com cadeiras anfíbias. Além disso, a ação conta com atividades esportivas e de lazer destinadas a pessoas com deficiência motora, visual, auditiva ou intelectual. No espaço reservado, das 7h30 às 14h, há quadras de vôlei sentado, handebol de areia, ginástica laboral e futsal adaptado.

Além disso, algumas jangadas que fazem passeios para piscinas naturais da Praia de Parajuçara são mais largas, apropriadas para transportar pessoas em cadeiras de rodas.

Como chegar

Um dos principais acessos para chegar à capital alagoana vindo do Nordeste, do Sudeste e do Sul é pela BR-101 (até Messias) e pela BR-104.

Ficou interessado em pegar no volante e cair na estrada para conhecer esses lugares? Saiba mais sobre o programa Volvo for All.

Compartilhe: