Quem Inova
Quem Inova
Quem Inova
Quem Inova

Quem Inova

Alunos utilizam Minecraft para estudar impactos da tragédia de Brumadi

Interatividade do jogo permite aos alunos uma visão completa dos danos e da necessidade de preservação do meio ambiente

Por: Redação

Alunos do 3º ano ensino fundamental de um colégio de Brasília estão utilizando o jogo Minecraft para recriar a tragédia ocorrida em Brumadinho (MG).

O objetivo da atividade do Colégio Marista Glória é oferecer aos alunos uma visão sobre os impactos naturais e sociais gerados com o rompimento da barragem, ampliando as discussões a respeito das consequências na biodiversidade local.

Crédito: DivulgaçãoInteratividade do jogo permite aos alunos uma visão completa dos danos e da necessidade de preservação do meio ambiente

Além de pesquisar, os estudantes também puderam simular, por meio do jogo, diversas maneiras de evitar novos transtornos, apresentando alternativas de como recuperar a área que sofreu o impacto. “A visão de criaturas extintas, mudanças naturais e o estudo sobre preservação dos animais e da natureza, além das alterações climáticas permitem simulações de comportamentos aliados à preservação”, explica João Carlos Rodrigues de Sino, responsável pela tecnologia educacional do colégio

Neste processo, explica Sino, o professor mediador incentiva o aluno a confrontar fontes de uma pesquisa, a ser crítico, olhar por diferentes perspectivas e simular outros resultados. “Por outro lado, a tecnologia fornece alguns meios para amparar o professor, facilitando essa mediação e dando suporte para que ele possa atuar com cada aluno em seu desenvolvimento”.

O Minecraft é um jogo em que se posicionam blocos para construir cenários e mundos de forma infinita e com espaços abertos. De acordo com o site especializado em tecnologia TecMundo, em 2018, o Minecraft tinha 91 milhões de jogadores ativos e era o mais jogado do Ocidente, com mais de 150 milhões de cópias vendidas no mundo todo.

Tragédia ambiental

O rompimento da barragem de Brumadinho, em 25 de janeiro de 2019, resultou em um dos maiores desastres com rejeitos de mineração no Brasil. A barragem era controlada pela Vale S.A. e estava localizada no ribeirão Ferro-Carvão, na região de Córrego do Feijão, no município de Brumadinho, a 65 km de Belo Horizonte (MG).

O rompimento resultou em uma catástrofe de grandes proporções, considerado como um desastre industrial, humanitário e ambiental, com mais de 220 mortos e diversos desaparecidos, gerando uma calamidade pública.

Compartilhe: