Empresa cria placa solar que produz água potável através do ar

Por: Redação

A empresa norte-americana Zero Mass Water desenvolveu um projeto que pretende levar água potável a regiões remotas de maneira simples e acessível. O sistema criado pela companhia usa placas solares para produzir água potável através da umidade do ar.

O equipamento, apelidado de Source, usa conceitos já conhecidos e aplicados em outras soluções. O sistema aproveita a energia solar para fazer funcionar um processo interno de evaporação e purificação, para a remoção de possíveis poluentes.

Zero-Mass-Water-Source-unit-in-Ecuador-by-Duke-Energy
A cada placa solar é possível produzir água potável para o consumo básico de uma família de até quatro pessoas

De acordo com Cody Friesen, CEO da empresa, o processo é bastante semelhante ao que acontece nos sistemas de ar-condicionado. Para ele, isso não é nenhum tipo de mágica. Este é um processo que ocorre em diversas situações. O que difere a estrutura é o resultado. Após todo o processo de destilação da água, o recurso fica extremamente puro.

Para garantir ainda mais a qualidade da água, o sistema conta com uma purificação através de minerais, onde são acrescentados cálcio e magnésio, para melhorar o sabor e evitar a proliferação de doenças.

Zero-Mass-Water-solar-panels-1-1020x610
Um programa piloto já instalou os sistemas em casas em regiões carentes do Equador, México, Jordânia e EUA

Este equipamento não necessita de qualquer conexão com as redes de transmissão, já que a própria energia solar garante todo o necessário para o processo de produção, purificação e distribuição da água, que sai direto em na torneira, que, inclusive, pode ser instalada dentro da residência.

De acordo com a empresa, um programa piloto já instalou os sistemas em casas em regiões carentes do Equador, México, Jordânia e EUA. A cada placa solar é possível produzir água potável para o consumo básico de uma família de até quatro pessoas. Mas, eles já preveem para o próximo ano testes em larga escala, para instalações em hospitais ou empresas.

Via CicloVivo

Compartilhe: