Estudante cria ferramentas para incluir autistas na sociedade

Por: Redação

A maioria das cidades não são bem adaptadas para pessoas com autismo. Tendo em vista a esse problema, uma estudante americana de arquitetura promete mudá-lo. Para uma pesquisa de mestrado da Universidade de Kansas, nos EUA, Elizabeth Decker criou um conjunto de ferramentas para ajudar planejadores urbanos a projetar comunidades mais inclusivas para adultos e crianças com autismo e outros distúrbios.

Em suma, os ambientes urbanos têm uma série de problemas que os tornam rigorosamente difícil para pessoas com deficiência neurológica. Fatores como sobrecarga sensorial, transporte público com acesso de plataformas especiais limitados e escassez de espaços verdes são alguns dos déficits que tornam uma cidade complicada para incluir pessoas com autismo.

Para criar seu kit de ferramentas, Elizabeth entrevistou adultos com o transtorno, médicos neurologistas e sociólogos. Finalmente ela identificou as necessidades básicas que os indivíduos com autismo exigem: formação profissional, habilidades para a vida, apoio à saúde mental e física, emprego, transporte público e habitação acessível.

Compartilhe: