São Paulo se prepara para o 1º Encontro Campestre de Violas

Dois violistas de São Paulo estão organizando o 1º Encontro Campestre de Violas, evento pedagógico que deve acontecer em Piracicaba (SP) em 2018. Gabriel Marin é violista do Quarteto Carlos Gomes e coordenador de música de câmara. Pedro Visockas é violista da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo.

Em sentido horário: violistas Gabriel Marin, Pedro Visockas, Renato Bandel e Alexandre Razera

Ambos são coordenadores pedagógicos e professores do Instituto Baccarelli. Além deles, participarão do evento os professores convidados Renato Bandel e Alexandre Razera. O festival deverá acontecer durante seis dias, em janeiro ou no início de fevereiro.

O festival visa a estimular a vivência de alunos com a viola e com os outros participantes e professores, por meio de aulas individuais, saraus, masterclasses, palestras e conversas, em um ambiente fora da escola.

Outro objetivo é compartilhar essa vivência com os moradores da cidade nos concertos de abertura e encerramento, que serão realizados na Capela Monte Alegre.

O formato idealizado para o encontro, ainda pouco comum no país, é inspirado em festivais que ocorrem em países da Europa, como o Prussia Cove e o String Academy. São festivais em que os participantes ficam concentrados em um local retirado, cercados pela natureza, em completa imersão em atividades e conversas relacionadas à prática do instrumento.

1º Encontro Campestre de Violas

Financiamento

Para cobrir as despesas do evento, foi aberta uma campanha de financiamento coletivo. Os interessados podem contribuir até 28 de novembro e receberão recompensas.

Outra ideia de financiamento foi implementada: o sarau Esquenta. No formato dos “house concerts”, recente febre nos Estados Unidos, os violistas Gabriel Marin e Pedro Visockas realizam um concerto privado e exclusivo, com foco no universo da viola de orquestra.

O sarau é uma possibilidade de agradecer e retribuir o apoio recebido. Haverá, ainda, a participação da pianista Ana Carolina Sacco e do clarinetista Luca Raele. A ideia é se aproximar do público, conversar sobre a viola e executar obras escritas para o instrumento.

Para a realização desses saraus, é necessário haver um espaço numa residência com ou sem piano –é possível organizar formações variadas– e a participação de pessoas que tenham interesse em artes e cultura e que desejem contribuir financeiramente para a realização do projeto.

Cada participante contribuirá com quanto achar conveniente. Todo o dinheiro arrecadado nesses recitais será revertido para a realização do festival.

Para conhecer o repertório possível ou receber o sarau, entre em contato pelo telefone 11 98208-2119 ou pelos e-mails encontro.campestre@gmail.com e robertalizandra@yahoo.com.br (com Roberta Marcinkowski).

Para saber mais sobre o encontro, acesse a página no Facebook.

Veja também: Campanha busca espaço para reunir obra do chileno Victor Jara