20 experiências que se vive em uma viagem à Tanzânia

A Tanzânia é um dos países mais pobres do mundo. Ver ao vivo a miséria que só escutamos falar me fez chorar por horas. Na capital, Dar es Salaam, muitas ruas ainda são com areia, a maioria das casas não têm pintura e muitas delas nem paredes.

Girafas no amanhecer no Serengueti
Girafas no amanhecer no Serengueti, na Tanzânia

1 – Tirei fotos do aeroporto, que na verdade é um saguão só, com balcões de madeira para o check in e jeito de sala dos anos de 1950. Um guarda confiscou meu celular e fui obrigada a apagar as fotos que tinha tirado no país.

2-  Peguei um avião de 12 lugares (sozinha) para o Serengueti e parei em 6 pontos do parque até chegar onde estou. Sabe quando você voa por horas e não tem sinal algum de civilização lá embaixo, só montanhas e árvores? Voei por 6 horas assim até pousar literalmente no meio do nada.

3 – Centenas de gnus corriam na “pista de pouso” e tivemos que arremeter por causa disso. Agora rodeada de gnus, aprendi que eles morrem de medo de gente e só comem grama. 

4 – Por enquanto, sou a única hóspede do hotel: um conjunto de tendas super chiques no meio do Serengeti (para uma viagem a trabalho como repórter de revista de viagem). A cada manhã, os funcionários me perguntam o que eu quero ver: girafas, rinocerontes, hipopótamos, pássaros, guepardos…e é só eu responder que lá vamos nós encontrá-los. 

Zebras e gnus na migração no Serengueti
Zebras e gnus na migração no Serengueti, na Tanzânia

5 – Para sair do quarto à noite, tenho que combinar um horário com o ranger, já que podem aparecer leões, hipopótamos e rinocerontes.

6 – Aprendi a me abanar com leques feitos de chumaços de rabo de elefante.

7 – Dormi e acordei com o barulho de hipopótamos. Ao acordar, vi as pegadas de vários deles em volta da tenda.

8 – Passei uma hora assistindo a uns 80 hipopótamos juntos nadando, dormindo e brincando no rio.

9 – Em um dia só vi 30 leões. Como um fantasma entrando no mundo deles, vi esses animais comendo gnus, segui-os até o rio (já que aprendi que ficam com sede depois de comerem) e assisti aos leões dormindo embaixo de árvores.

10 – Me diverti vendo uma hiena brincando em uma poça de água. Ela rolava na água, pulava, e saía e entrava de novo só para brincar mais um pouco.

11 – Tomei café da manhã em uma mesa cercada de gnus e fui instruída a não dar comida aos macacos que apareceram.

12  – Vi 14 girafas passarem na minha frente durante o nascer do sol.

13 – Era tempo de migração dos animais. Esperei por uma hora, diante de um grupo de 3.000 gnus, um deles dar o primeiro passo e atravessar o rio para migrarem. Segundos depois que o primeiro deles toma coragem, todos os outros o seguem. No rio, estão os grandes obstáculos: pedras que os fazem quebrar a perna e crocodilos que ficam os aguardando.

14 – Na migração, assisti a uma cena inesquecível. Um filhote de gnu foi pego por um crocodilo. A mãe voltou para puxá-lo, mas quase foi levada também pelo animal. Ela hesitou e teve que virar as costas e continuar a jornada para a outra margem do rio. Enquanto todos os outros gnus corriam assim que alcançavam a margem, ela olhava para trás vendo o filhote ser puxado pelo crocodilo. Caminhava devagar e cabisbaixa e chegou a voltar  para ver mais uma vez o filhote. Quando ele estava quase afundando, ela olhou uma última vez para o filhote e foi caminhar  junto dos outros gnus, mas dando passos lentamente e olhando para o chão.

15 – A diversão em uma das manhãs foi contar a quantidade de leões avistados sem perder a conta: “havia três bebendo água, 11 descansando embaixo da árvore, três comendo, uma andando solitária…

16 –Vi um gnu ser comido vivo por quatro hienas. Ele veio correndo na minha direção para que eu o salvasse, mas claro que eu não podia fazer nada.

17 – Vi famílias e mais famílias de elefantes de todos os tamanhos, comendo folhas livremente na savana. Um bebê elefante andava ao lado de uma fêmea bem velha, enrugada e andando com dificuldade.

18 – Encontrei ovos gigantes de avestruz espalhados pelo Serengeti.

19 – A cada encontro com o nascimento e com a morte, com filhotes aprendendo a andar e com animais sendo atacados, ouço dos rangers: that`s the way life is, e essa foi a frase que mais marcou por ser tão verdadeira. 

20 –  Resumindo: Estar nesse ambiente gigantesco onde quem manda são os animais é uma experiência inesquecível que  recomendo a todo mundo que ama os animais e a todo mundo que quer ver ao vivo a vida natural acontecer.

Compartilhe: