Últimas notícias:

Loading...

Como agir na imigração para não ser barrado?

Por: ViraVolta

Quem nunca teve um medinho de ser barrado na imigração ao chegar em um país desconhecido? Carol Fernandes, fundadora do Projeto ViraVolta, viajou 2 anos pelo mundo por mais de 40 países e nunca foi barrada. Mas as pessoas ainda têm esse receio e o projeto recebe muitas dúvidas quanto a isso.

A grande verdade é que a maioria dos países gostam mais de colocar o terror do que ser de fato chatos no controle. E a maioria dos oficiais só têm cara de “malvados”, mas são tranquilos. A chance de ser barrado é muito pequena se você não estiver fazendo nada errado. Basta ficar atento às exigências de cada país.

COMO AGIR NA IMIGRAÇÃO PARA NÃO SER BARRADO?

Preenchendo o cartão de imigração:

Não fique desesperado com o cartão de imigração que você recebe dentro do avião ou nas fronteiras dos países. É mera formalidade. Porém você precisa estar atento na hora de preencher os dados para que eles estejam alinhados com o seu visto de turista.

Os formulários são todos meio parecidos. Fique atento a esses 3 pontos:

1- Lengh of stay (duração da visita): se o seu visto de turista permite ficar no máximo 30/60/90 dias, nunca coloque mais tempo que o permitido.
2- Purpose of visit (propósito da visita): marque sempre a opção “tourist”, mesmo que você esteja indo fazer um trabalho voluntário naquele país. Nunca dê a entender que você terá qualquer relação com trabalho, ou eles podem achar que você fará trabalho ilegal.
3- Address in “…..” (endereço no país): não se desespera, isso não significa que você precisa de uma reserva de hospedagem. Se você já souber onde vai ficar ótimo, mas se não souber coloque o nome ou endereço de qualquer hospedagem que tenha no seu guia ou que você achou na internet.

OBS: alguns cartões de imigração podem pedir também “contact in the country” (contato no país). Nesse caso você pode colocar o telefone da hospedagem que você indicou.

Respondendo perguntas ao funcionário da imigração:

Às vezes eles gostam de fazer várias perguntas e se tiverem de mau humor ainda fazem cara de mau, mesmo que você deixe um largo sorriso. As 2 perguntas mais importantes para você ficar atento:

1- Sobre trabalho: caso você não esteja trabalhando no momento ou esteja realizando uma longa viagem pelo mundo, não mencione esses detalhes. Diga a sua profissão e a empresa que você costumava trabalhar (como se ainda fosse empregado). Ele só não pode supor que você estaria indo pra lá procurar trabalho ilegal.

2- Razão da viagem: sempre fale que você está indo a turismo (inglês – tourism). Se você vai fazer um trabalho em troca de hospedagem, voluntariado ou visitar amigos, etc… Não mencione esses detalhes. Isso só abre margem para mais questionamentos.

Seja sempre direto e objetivo com os oficiais de imigração. Você deve ser natural e simpático, mas o oficial não é seu amigo e ele não precisa saber sobre toda a sua vida.

FICA A DICA

Cruzar a fronteira por terra é sempre bem mais simples do que quando você chega no aeroporto. O controle e as paranóias parecem bem maiores no aeroporto do que em controle de imigração de fronteira.

Viajantes de longo prazo tendem a cruzar muitas fronteiras por terra, já que usam voos apenas para os deslocamentos mais longos e fazem a maior parte por deslocamentos terrestres ou até mesmo barcos. Carol Fernandes cruzou 29 fronteiras por terra em sua viagem e fez 18 controles de imigração em aeroporto durante seus 2 anos de viagem, e claramente cruzar por terra é sempre mais fácil e mais simples.

Você ainda está preocupado por que um dos países que você pretende visitar exige prova de hospedagem ou voo de saída? Então veja essas dicas imperdíveis.

Conheça mais sobre o Projeto ViraVolta e fique conectado: Site, Facebook, Youtube, Instagram, Twitter e Pinterest

Crédito foto de capa: Shankar S

Compartilhe:

?>