Últimas notícias:

Loading...

Festival Mix Brasil de Cinema da Diversidade Sexual chega a sua 18ª Edição

Por: Redação

O Festival que mais toca no quesito diversidade chega ao seu décimo oitavo ano de vida. Assim, atingindo sua maturidade e ampliando as salas de exibição. Este ano, serão mais de uma centena de filmes.

Sob a direção de João Federici e André Fisher, o Festival Mix Brasil, tem curadoria da jornalista Suzy Capó. Para esse ano, a mostra traz além de exibições, atividades especiais. Entre elas, a sessão especial no “cinemão” Cine Don José, localizado no centro, nesta sexta-feira, 12, às 21h.

O ator François Sagat, protagonista do longa estará presente na sessão.

Os curtas presentes na mostra serão submetidos a júri popular comandado por Marisa Orth, na 11ª edição do tradicional Show do Gongo. Os interessados poderão se inscrever até às 18h no balcão de credenciamento do evento. As chamadas “gongadas” começam ás 21h.

__________________________________

Confira os filmes exibidos na Galeria Olido

__________________________________

No dia 13 de novembro, às 17h, o Museu da Imagem e do Som (MIS) receberá o painel “Como Filmar uma Cena de Sexo”, que terá a participação de diretores de cinema como Tata Amaral, Carlos Alberto Ricelli, Jürgen Bruning (Alemanha), Claus Mathes (Alemanha) e Florence Frazilci (França). Eles ilustrarão suas falas com as principais cenas que já produziram.

O Panorama Internacional, seção do evento dedicada à exibição de novos longas-metragens que estão circulando em festivais internacionais de cinema e no circuito GLBT, apresenta filmes como “Homem no Banho”, de Christophe Honoré. Esta é outra oportunidade para o público conferir François Sagat na tela grande e pessoalmente. Na noite dedicada às meninas, 17, elas poderão conferir a pré-estreia brasileira do longa de arte erótico “Quarto em Roma”, do espanhol Júlio Medem, estrelado por Elena Anaya, a estrela do novo filme de Almodóvar.

Os destaques do programa Mundo Mix ficam por conta da produção uruguaia “O quarto de Léo”, dirigido por Enrique Buchico, e também do longa de estreia de Carlos Oliveira, cineasta brasileiro radicado em Companhagen. Oliveira oferece um novo paradigma para os filmes sobre adoção por gays, principalmente os carentes adotados por europeus ricos. A homenagem deste ano será um Tributo ao documentarista israelense Tomer Heyman com a exibição de “Papper Dolls”, “I Shot My Love” e “It Kinda scars me”.

As esperadas sessões de curtas também estão presentes nesta edição do festival. Na Sexy Boys, o público poderá conferir as produções com apelo mais erótico. Na sessão Cara Metade, o tom será relacionamentos, com destaque para o “Os Novos Inquilinos”, de Sebastian Agdur, que levou o Oscar 2010 como melhor curta-metragem.

As relações familiares serão abordadas na sessão “Laços de Família”. As meninas também terão uma programação especial; o “Mapa das Minas” trará as principais produções que abordam o relacionamento entre mulheres. O Trash-o-rama apresenta os curtas que não se preocupam com o exagero, seja qual for. O Mix do Brasil é a sessão de curtas que teve a curadoria de André Fischer e será mais um espaço para as produções nacionais dentro do festival.

Os premiados nesta edição do Festival Mix Brasil serão conhecidos no dia 18 de novembro, no Cinesesc, às 21h. Além da cerimônia de premiação, também será exibido o longa Sasha, de Dennis Todoroovic, que conta a história de paixão de um garoto por seu professor de piano, para desgosto de sua família de imigrantes apegada aos valores tradicionais (e homofóbicos) dos Balcãs. A programação completa do 18º Festival Mix Brasil de Cinema da Diversidade Sexual está disponível no site.

Compartilhe: