Divulgação

Créditos: Divulgação

Mario foi poeta, romancista, musicólogo, historiador, crítico de arte e fotógrafo

"Está fundado o Desvairismo", escreve Mário de Andrade no prefácio do icônico romance "Pauliceia Desvairada", obra considerada a base do modernismo, tema da exposição que ocupa o Centro Cultural Correios até 6 de janeiro. Com curadoria de Denise Mattar, Mário de Andrade - Cartas do Modernismo reúne um acervo sobre um dos protagonistas do movimento, com 22 cartas originais enviadas pelo autor de Macunaíma para Portinari e outras quinze recebidas por ele de nomes como Tarsila do Amaral e Brecheret.

Também são exibidas trinta obras de expoentes do modernismo brasileiro, a exemplo de Di Cavalcanti, Cícero Dias, Ismael Nery, Lasar Segall e Tarsila do Amaral. Completam a exposição uma instalação interativa e o documentário Mário: um Homem Desinfeliz, de Adilson Ruiz, com duração de 25 minutos, além de uma linha do tempo sobre fatos da vida do homenageado. Uma caixa de correio permite ao visitante deixar uma carta para o escritor — e, adiante, receber de brinde uma cópia de um dos textos de sua farta correspondência.

Mário de Andrade - Cartas do Modernismo

13 Nov
a
06 Jan

  • de 13/11 a 06/01
    • Terças, Quartas, Quintas, Sextas, Sábados e Domingos das 12:00 às 19:00


Catraca Livre