Para quem quer mergulhar fundo na vida da cidade, foram elaborados três roteiros alternativos nas zonas Norte, Sul e Oeste especialmente para a campanha Passaporte Verde, do PNUMA/ONU.

Os trajetos foram feitos em parceria com articuladores comunitários que prestam consultoria sobre engajamento de favelas e regiões periféricas do Rio, elaborou .

Foto: Arthur Sarandy

Créditos: Foto: Arthur Sarandy

Aproveite três roteiros para curtir o Rio de Janeiro


Madureira e Ramos

Divulgação

Créditos: Divulgação

Mercadão de Madureira

Com mais de 400 anos de história, Madureira é, para muitos cariocas, o coração da Zona Norte. Berço de escolas de samba, bailes de charme e casas de jongo, o bairro ainda abriga um dos mercados mais populares da cidade e um parque público com Aros Olímpicos de 12 metros de altura.

Comece de manhã pelo Mercadão de Madureira, que conta com cerca de 600 lojas de todo tipo de produto: de artigos religiosos a produtos de festas, de pipas artesanais a esmaltes de unha, de utilidades domésticas a fantasias de carnaval. Não perca a feira de temperos e ervas medicinais. Com mais de 100 anos de existência, estima-se que cerca de 100 mil pessoas passem diariamente por lá.

Próximo do Mercadão, fica o Grupo Cultural Jongo da Serrinha, dança de roda de escravos afrobrasileiros mantida viva na Favela da Serrinha. O Grupo Cultural mantém uma escola de dança, que pode ser visitada durante o dia, e organiza apresentações noturnas. Para visitá-lo, é preciso fazer agendamento prévio por telefone. O Grupo está de mudança para novo endereço, que será inaugurado em dezembro de 2015.

Em seguida, relaxe um pouco no Parque de Madureira, um ponto de encontro onde os moradores praticam esportes, encontram os amigos e assistem a shows de música. Aproveite para fazer como os moradores e tirar selfies com os Arcos Olímpicos gigantes instalados no parque como marco dos Jogos Rio 2016.

Foto: Julia Rodrigues

Créditos: Foto: Julia Rodrigues

Baile Charme do Viaduto Madureira

Se for sábado, ainda dá para cair na pista no Baile de Charme do Viaduto de Madureira, um dos redutos mais famosos do movimentoblack na cidade. Uma curiosidade: o baile surgiu com um grupo de camelôs do viaduto de Madureira que também gostava de discotecagem.Hoje, há barraquinhas que vendem caipirinha e CDs de charme para levar o som para a casa.

Para os turistas mais apaixonados pelo samba, uma atração tradicionalíssima na Zona Norte é o Cacique de Ramos. Com mais de 50 anos de história no carnaval carioca, o Cacique reúne músicos do Brasil inteiro para rodas de samba de raiz e partido alto. Os sambas são abertos e acontecem aos domingos.

Onde? Mercadão de Madureira - Avenida Ministro Edgard Romero, 239, Madureira | Tel. 3355-9044
Quando? de segunda a sábado, das 7h às 19h. Domingos e feriados, das 7h ao meio-dia.
Como chegar?

  • Trem

Estação de Madureira ou Estação do Mercadão de Madureira pela linha auxiliar.

  • Carro

Linha amarela, saída 3 (Madureira - Rua Goiás).

  • Metrô

Quem pega o metrô linha 1, fazer transferência para linha 2 no Estácio, saltar na estação de Vicente Carvalho e pegar o ônibus 355.

  • BRT

Estação de Madureira Manaceia e Estação Paulo da Portela. 

Onde? Grupo Cultural Jongo da Serrinha - Rua Balaiada, Madureira (antigo endereço)/Rua Compositor Silas de Oliveira (a partir de dezembro de 2015) | Tel. 2437-5546 ‎

Onde? Baile Charme do Viaduto de Madureira - Viaduto Negrão de Lima, Madureira | Tel: 97836-8748
Quando? sábados, a partir de meia-noite.

Onde? Samba do Cacique de Ramos - Uranos, 1326 - Olaria
Quando? Todo os domingos tem roda de samba a partir das 17h, com entrada franca.

Visitas guiadas na Zona Norte
Guiadas Urbanas - grupo organiza passeios guiados por diversos bairros da região, como Penha, Madureira, Salgueiro e Marechal Hermes | Tel: 97108-1010


Barra de Guaratiba

A Zona Oeste cobre um território muito extenso, que vai da Barra da Tijuca à Santa Cruz, passando por algumas das melhores praias da cidade, como Barra da Tijuca, Recreio, Prainha e Grumari, parques naturais, como o Parque da Pedra Branca e do Mendanha, e o Parque Olímpico de Deodoro, onde serão disputadas competições Olímpicas e Paralímpicas nos Jogos Rio 2016. Em construção, o Parque de Deodoro será convertido num espaço de lazer e esporte aberto à população após o evento.

Divulgação

Créditos: Divulgação

Trilha para Pedra da Tartaruga

Comece o dia bem cedo em Barra de Guaratiba, a cerca de 70 quilômetros do Centro do Rio, com uma visita guiada no Sítio Burle Marx, que foi residência do famoso paisagista brasileiro Roberto Burle Marx até 1994. No sítio de 807 mil metros quadrados, além das coleções de plantas brasileiras, o visitante pode conhecer a história do paisagista, seu ateliê de pintura e o salão de pedras.

Após a visita, siga até o Canal do Mangue na região da Restinga da Marambaia, onde é possível alugar pranchas para stand up paddle. Recomenda-se que o passeio (com ou sem instrutor) seja feito no início da manhã ou no final da tarde para o por do sol. O esporte tem se firmado como paixão carioca, sendo praticado em diferentes pontos da orla.

Após cerca de uma hora de stand up paddle, siga até a Praia de Barra de Guaratiba, onde começa a trilha para as chamadas Praias Selvagens (Praia do Perigoso, Praia do Meio, Praia Funda e Praia do Inferno). À direita da Praia do Perigoso, fica a Pedra da Tartaruga, um ponto de prática de rapel.

O circuito completo pode ser feito em cerca de quatro horas, considerando o tempo de descanso e mergulho nas praias. Para quem quiser um programa mais curto, há ainda a trilha para a Pedra do Telégrafo, que tem uma vista panorâmica para a orla da Zona Oeste e ainda rende fotos que fazem o maior sucesso (como se o turista estivesse prestes a cair do penhasco). Esse trecho dura cerca de uma hora e meia.

Na volta da trilha, a pedida é almoçar em alguns dos restaurantes locais ao longo da estrada, especializados em peixes e frutos do mar. Vários restaurantes receberam nomes de cozinheiras e mulheres de pescadores, como Tia Palmira, Tia Penha e Tia Joana.

Como chegar em Barra de Guaratiba? 

Carro ou táxi - A melhor forma de chegar na região e explorá-la é de carro. A região não é bem servida de rede de transportes.

Ônibus - A partir do Centro, há a linha de ônibus 387 (Carioca – Restinga da Marambaia).

BRT - A estação de BrT (ônibus rápido) mais próxima de Barra de Guaratiba é Ilha de Guaratiba. A partir dela, o turista pode tomar outro ônibus ou um táxi para Barra de Guaratiba.

Onde? Sítio Burle Max - Estrada Roberto Burle Marx, 2019 | Tel: (21) 2410-1412

Horário: Apenas visita mediada com agendamento - 3ª a sab, 9h30 e 13h30 - 90 min de duração (Grupos fechados, de até 35 pessoas, horário a combinar). Ingressos em espécie: individual R$ 10,00 / grupos: R$ 150,00 para a guia, R$ 30,00 por pessoa/ meia entrada acima de 60 anos/ gratuidade: crianças até 5 anos.


Morro Dois Irmãos e Vidigal

“Uma favela é uma cidade do interior, só que inclinada e muito mais agitada”. Essa é a definição do Morro do Vidigal feita pela Ana Lima, que há cinco anos organiza passeios guiados pela favela onde sua família vive há quatro gerações. Encravado num dos endereços mais nobres da Zona Sul do Rio, entre o Leblon e São Conrado, o Vidigal oferece umas das vistas mais bonitas da cidade, promove festas para vários gostos e abriga diversos projetos de arte, meio ambiente e esporte.

Divulgação

Créditos: Divulgação

Passeio pelo Vidigal até o Morro Dois Irmãos

O ponto de encontro para o passeio guiado começa no pé do morro, onde os turistas embarcam numa Kombi, o meio de transporte preferencial dos moradores locais, e seguem até o início da trilha para o Morro Dois Irmãos. A trilha tem um quilômetro e meio de extensão e a subida demora cerca de uma hora, com direito a parada para fotos. No topo do Morro do “Irmão Maior”, os turistas aproveitam o visual por cerca de 30 a 40 minutos. A trilha é considerada leve e apropriada para crianças a partir de oito anos de idade.

Na trilha, os turistas conhecem, entre outros projetos, o Mutirão Reflorestamento, programa governamental que recruta moradores para plantarem mudas em áreas ecologicamente degradas do morro. No Vidigal, os visitantes aprendem que essa iniciativa tem evitado deslizamentos nas encostas e refrescado a vida dos moradores.

Divulgação

Créditos: Divulgação

Morro Dois Irmãos

O passeio apresenta ainda outras iniciativas sociais e artísticas que têm transformado a vida dos moradores do Vidigal, como a Escola de Teatro Nós do Morro (que vem descobrindo e lançando novos talentos), a Escolinha de Arte Urbana (que ensina a técnica do grafite para crianças) e o Todos na Luta (que trabalha o boxe com crianças e adolescentes em situação vulnerável).

Os visitantes conhecem ainda muros grafitados por artistas locais, como Tarm, e por artistas convidados. O passeio termina com uma degustação de sacolé (sorvete em saquinho plástico).

Para os mais animados, há diversas festas na região do Mirante do Arvrão, que tem uma vista privilegiada da Zona Sul. Uma experiência imperdível é acompanhar a transição do dia para a noite no Mirante e observar as luzes da cidade acendendo com o mar ao fundo.

Como fazer o passeio no Morro do Vidigal? O turista pode fazer o passeio de modo independente. Para quem deseja o passeio guiado para ouvir mais histórias sobre a vida no Vidigal:

Trilha Dois Irmãos com Ana Lima | Telefone e Whatsapp: 983944928
Facebook: www.facebook.com/trilhadoisirmaos
Instagram: @trilhadoisirmaos

3 roteiros de norte a sul

05 Out
a
31 Dez

  • de 05/10 a 31/12
    • Segundas, Terças, Quartas, Quintas, Sextas e Sábados das 07:00 às 19:00
    • Domingos das 07:00 às 12:00

Mercadão de Madureira
Rua Alves, 239 Madureira - Norte Rio de Janeiro - RJ (21) 3355-9044 / (21) 3355-9146
Catraca Livre

01 Out
a
31 Dez

  • diariamente de 01/10 (Qui) a 31/12 (Sáb)
    • das 06:00 às 15:00

Praça do Vidigal
Avenida Niemeyer, s/n - s/n Rio de Janeiro
Catraca Livre