O Largo está inserido no que hoje corresponde a região dos bairros portuários, que teve papel fundamental na estruturação da identidade cultural e histórica da cidade do Rio de Janeiro. Seus caminhos sinuosos, muitas escadinhas, travessas, becos e ladeiras evidenciam a construção urbana dos primeiros séculos da cidade.

A área, que guarda 400 anos de história, ainda possui muitos casarões colonais e abriga a Pedra do Sal, tombada em 1984 pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultural (Inepac). Localizada na base do morro da Conceição, a poucos metros do Largo da Prainha, foi a sede mística desse renascimento, local de rituais e cultos religiosos, batuques e rodas de capoeira. Mais tarde, foi também ponto de encontro de sambistas e chorões, como João da Baiana, Donga e Pixinguinha.

Fonte: Todo Rio