Cogumelo reduz risco de perda de memória, segundo estudo

Alimento também pode inibir a produção de proteínas tóxicas cuja superacumulação no cérebro coincide com o desenvolvimento da doença de Alzheimer

Por: Redação
cogumelos
Crédito: IstockParticipantes do estudo foram acompanhados por durante 6 anos

Cogumelos contêm uma grande quantidade de fibras, antioxidantes e proteínas, bem como vitaminas e minerais. Agora o que os pesquisadores descobriram é que eles também ajudam a reduzir o risco de perda de memória.

O  estudo foi realizado pela Universidade Nacional de Cingapura e usou dados de 663 chineses com mais de 60 anos que tiveram a alimentação e o estilo de vida acompanhados entre 2011 e 2017.

Os pesquisadores observaram que pessoas que consumiam porções de cogumelos duas vezes por semana apresentavam um risco 50% menor de comprometimento cognitivo leve, que muitas vezes precede a doença de Alzheimer. E também constataram que, quanto mais cogumelos as pessoas comiam, melhor era o desempenho delas em testes de raciocínio e processamento.

cogumelos temperados
Crédito: Rudisill/istockPesquisadores indicam o consumo de pelo menos duas vezes na semana

Os participantes consumiam diferentes tipos de cogumelo. Entre eles shitake, cogumelo-ostra (também conhecido como shimeji-preto), champignon, enoki e portobello.

Os pesquisadores salientam ainda que cogumelos são  um dos alimentos mais ricos em ergotioneína, um antioxidante e anti-inflamatório único que os humanos não conseguem sintetizar sozinhos, mas que podem ser obtidos a partir de fontes alimentares, sendo cogumelos uma das principais.

Cogumelos também contêm importantes nutrientes e minerais, além de ser rico em vitamina D, selênio e espermidina, substâncias que também protegem neurônios.

Também foi notado que substâncias derivadas de cogumelos podem inibir a produção de proteínas tóxicas cuja superacumulação no cérebro coincide com o desenvolvimento da doença de Alzheimer e outras formas de demência.

Apesar da descoberta, os autores do estudo ainda dizem que é cedo para determinar se há uma relação causal entre cogumelos e melhor desempenho cerebral e que estudos mais aprofundados são necessários.