Como controlar crises de ansiedade

Quando em excesso, a ansiedade provoca sintomas físicos; conheça duas técnicas que ajudam a amenizar a crise e retomar o controle

Por: Flows Psicologia

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil possui o maior número de pessoas ansiosas do mundo. As exigências e mudanças constantes da vida moderna contribuem para estarmos “ligados” em tempo integral, precisamos estar sempre conectados com tudo a nossa volta, sendo quase inevitável pagarmos o preço de nossa ansiedade estar acima do limite.

Mas você sabia que existem maneiras simples de diminuir nossa ansiedade?

A ansiedade é uma emoção universal, inerente à vida humana, ou seja, não conseguimos deixar de senti-la. Nossa ansiedade pode ser adaptativa ou desadaptativa.

Ela se manifesta de maneira adaptativa quando, por exemplo, sentimos ansiedade frente a alguma situação importante de nossas vidas, quando estamos sendo avaliados ou quando queremos conquistar algo.

mulher caindo em um espiral preto e branco
Crédito: GeorgePeters/istockEm alguns casos, a ansiedade manifesta-se por meio de sintomas físicos

Quando nossa ansiedade se manifesta de maneira excessiva, ela pode resultar em prejuízos para no nosso bem-estar e saúde.

Quando damos demasiada importância a algum evento, nosso corpo sente os efeitos da ansiedade elevada. Nossa respiração fica ofegante e rápida, podemos sentir palpitações, tremores e mal-estar, impactando na realização de nossas tarefas cotidianas.

Aqui vão algumas dicas para manejar as crises de ansiedade:

É natural que, no momento de uma crise de ansiedade, toda nossa atenção volta-se para os sintomas físicos que estão acontecendo no momento, o que consequentemente eleva mais nossa ansiedade deixando-nos mais apreensivos.

Em um momento de crise, recomenda-se tirar o foco dos sintomas que estão ocorrendo no nosso corpo.

Vamos, então, mudar o foco?

Respire…

gif de respiração

Nossa respiração é um calmante natural, portanto respire lenta e profundamente. Quando respiramos lenta e profundamente, tendemos a sentir um leve relaxamento. Perceba quando estiver ansioso que provavelmente sua respiração estará curta e rápida, para auxiliar neste momento, procure respirar estufando o abdômen, fazendo com que o ar passe pelo diafragma em um ritmo ideal de sua respiração, pode-se inspirar puxando o ar em 4 segundos, segurar a respiração por 4 segundos e expirar todo o ar de seus pulmões por 6 segundos, procurando sempre estar confortável com o tempo da respiração.

Técnica Grounding

A técnica Grounding consiste em primeiramente focar na respiração e depois identificar:

  • 5 coisas que você pode ver
  • 4 coisas que pode tocar
  • 3 coisas que pode ouvir
  • 2 coisas que pode cheirar
  • 1 coisa que pode sentir o gosto
View this post on Instagram

🌎 Você sabia que: no Brasil Transtornos de Ansiedade são os que acometem a população com maior frequência?⁣ ⁣ 😱 Dentre eles está o Transtorno de Pânico, caracterizado por ataques de pânico onde o pico de ansiedade fica intenso, espontâneo e inesperado. Seguido de alguns sintomas como: palpitações, sudorese, tremores, náusea e medos de perder o controle ou "enlouquecer". Ocorrem mais frequentemente em mulheres e geralmente na vida adulta (DSM-5).⁣ ⁣ 💔 No Transtorno de Pânico em geral as pessoas possuem algumas visões distorcidas da realidade, acreditam que seus sintomas físicos irão fazê-la infartar, ter um derrame, desmaiar e/ou morrer. ⁣ ⁣ 🌞 Essas visões distorcidas podem ser contestadas: seu sistema nervoso irá se regular depois de alguns minutos. ⁣ Veja nessa imagem dicas da Flows Psicologia para ajudar seu sistema nervoso a se acalmar.⁣ ⁣ 📲 Se quiser fazer terapia conosco, entre em contato inbox ou atravpes do WhatsApp (51) 99466-1041. #crisedepânico #transtornodopânico #transtornodeansiedade #portoalegre

A post shared by Flows Psicologia (@flowspsicologia) on

É válido tentar tranquilizar-se ou tranquilizar alguém que está tendo a crise, lembrando que os sintomas que estão ocorrendo são resultados de uma crise de ansiedade, e não significa uma condição clínica grave ou que há risco de morte.

Acompanhamento psicológico

Essas dicas podem auxiliar em momentos pontuais, todavia, não dispensam a avaliação de um profissional da área da saúde. E, afinal, qual é o tratamento mais adequado? A primeira linha de tratamento a ser considerada é psicoterapia com psicólogo de abordagem cognitivo-comportamental.

Em casos de pacientes mais graves, recomenda-se acompanhamento com psiquiatra concomitante à terapia. Cuide de sua saúde mental, ela é um bem precioso e os profissionais da área da saúde mental estão aqui para ajudar você!

Texto escrito pelas psicólogas Gabriela Lumi e Karine Santos, do Flows Psicologia.