Últimas notícias:

Loading...

Identificada nova variante dupla mutante do coronavírus na Índia

Nova cepa é descoberta em um momento em que o país registra aumento no número de casos de covid-19

Por: Redação
Ouça este conteúdo

O Ministério da Saúde da Índia anunciou a descoberta de uma nova variante dupla mutante do coronavírus no país. A nova cepa foi identificada em amostras no estado do Maharashtra. Segundo as autoridades, as duas mutações observadas no vírus não correspondem às variantes previamente catalogadas.

As alterações estão na proteína spike do vírus, responsável por fazer a entrada nas células humanas. Essa característica pode aumentar o poder infeccioso do coronavírus e torná-lo mais resistente às vacinas já existentes.

A identificação dessa nova variante acontece em um momento em que o país registra um aumento no número de infecções por covid-19. Apesar disso, o governo indiano disse que ainda não é possível ligar a cepa à escalada de casos porque ela não foi detectada em número suficiente para estabelecer uma relação direta.

variante
Crédito: Kalpit Bhachech/istockNova variante dupla mutação foi encontrada em amostras de 18 estados na Índia

Além da nova variante dupla mutante, entre as 10.787 amostras colhidas no país, 736 foram positivas para a variante do Reino Unido, 34 para a variante da África do Sul e uma para a variante do Brasil.

Pandemia na Índia

A Índia registou 47.262 novos casos de covid-19 nesta quarta, o maior número desde o início de novembro. Além disso, o país teve 275 mortes causadas pela covid-19 nas últimas 24h.

Com 11,7 milhões infectados e 160 mil mortes, a Índia é o 3º mais afetado do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e do Brasil.

Especialistas em saúde pública temem que um importante festival hindu realizado todos os anos em abril possa agravar a situação da pandemia no país. Alguns estados voltaram a endurecer restrições, incluindo toques de recolher, para controlar a disseminação do vírus.

Duas grandes cidades, a capital Deli e Mumbai, também solicitaram testes rápidos em aeroportos, estações de trem e áreas com grande aglomeração de pessoas, como shoppings.

Compartilhe: