Últimas notícias:

Loading...

Vacina CoronaVac apresenta eficácia de 78% em testes no Brasil

Instituto Butantan vai solicitar à Anvisa autorização para uso emergencial

Por: Redação
Ouça este conteúdo

A CoronaVac, vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, apresentou uma eficácia de 78% naqueles voluntários brasileiros que apresentaram casos leves ou precisaram de atendimento ambulatorial, segundo informou o governo de São Paulo nesta quinta-feira, 7.

Ainda de acordo com o governo, a vacina garantiu a proteção total (100%) contra mortes, casos graves e internações nos participantes vacinados que foram contaminados com o vírus. Isso indica que quem tomar a vacina do Butantan estará com a saúde protegida e chances mínimas de agravamento da covid-19.

O estudo clínico realizado no Brasil contou com 12,4 mil profissionais de saúde voluntários em 16 centros de pesquisa.

O  percentual de 78% é acima dos níveis exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Organização Mundial da Saúde (OMS), que consideram o mínimo de 50% de eficiência para que um imunizante seja autorizado para uso.

O resultado dos testes, o Butantan deu início nesta quinta-feira à solicitação do registro emergencial da vacina junto à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

coronavac vacina
Crédito: Divulgação/Governo do Estado de São PauloCoronaVac tem eficácia de 78% em testes no Brasil

Conforme já adiantado pelo governo de São Paulo, o plano estadual é iniciar a vacinação no dia 25 de janeiro.

Segundo o anúncio do governo paulista, a vacina será aplicada nos cidadãos de segunda a sexta, das 7h às 22h, e de 7h às 17h aos sábados, domingos e feriados.

De acordo com o secretário de Saúde, Jean Gorinchteyn, os 5.200 postos de vacinação já existentes nas cidades do estado deverão ser ampliados para 10 mil. Para isso, serão utilizadas escolas, estações de trem, terminais de ônibus, farmácias e quartéis da PM. Também haverá o esquema drive-thru para que as pessoas sejam vacinadas sem precisar sair do carro.

Serão priorizados os profissionais da saúde, idosos acima dos 60 anos, indígenas e quilombolas.

O governador João Doria (PSDB) disse ontem, 6, em reunião com os prefeitos dos municípios paulistas que acredita que toda a população do estado deve estar imunizada contra a covid-19 em 2021.

Compartilhe: