Entre o samba e os cânticos escravos, havia uma voz rouca e singular que uniria as duas partes de forma definitiva. Foi neste cenário que a cantora e compositora Clementina de Jesus (1901 – 1987) se eternizou no legado da canção popular, tendo feito parcerias com grandes mestres de sua época, como Cartola, Pixinguinha, João da Baiana, Paulinho da Viola, entre outros.

A biografia da cantora pode ser conferida de perto em “Clementina de Jesus – uma breve trajetória foto-biográfica”, mostra em cartaz na Galeria Olido entre 16 de agosto e 2 de setembro.

A exposição integra a programação do evento “Desde que o Samba é Sampa”, que promove mesas-redondas, exibição de filmes e uma tradicional roda de samba. Todas as atividades têm entrada Catraca Livre.

A iniciativa ainda conta com mesas-redondas com músicos e pensadores nos dias 16 e 17, como Fabiana Cozza, Dinho Nascimento, Zé Maria (velha guarda do Peruche), Thobias do Vai-Vai, Nega Duda, Renato Dias, Tadeu Kaçula e dos pesquisadores: Moisés da Rocha, Carlos Gomes, Ana Lúcia Ferraz, Eugênio Lima, entre outros.

O encerramento das atividades ocorre no dia 18, às 17h30, na Casa de Cultura Palhaço Carequinha com uma tradicional roda de samba comandada pelo grupo Virado a Paulista.

Confira a programação completa nas abas abaixo:

- 16h: Mesa redonda

Com mediação de Eugenio Lima, a conversa busca trocar ideias sobre a forma que o samba produzido em São Paulo dialoga com o processo de urbanização da metrópole. A conversa conta com os seguintes vonvidados: Amailton Azevedo, Bruna Prado, Carlos Gomes e Moisés da Rocha.

- 16h30: Mesa Redonda

O bate-papo “O Samba é Meu Dom - A identidade construída na roda de samba” conta com participação dos seguintes participantes: Chapinha do Samba da Vela, Fabiana Cozza, Patricio Salgado, Pagode da 27 e Zé Maria. A mediação será feita por Jaime Diko Lopes.

- 14h: Mesa Redonda

Neste encontro, Renato Dias faz a mediação do tema “Batuques e atabaques: o samba-som que vem da diáspora”, que reúne personalidades como Dinho Nascimento, Eugênio Lima, Mirian Carlos, Nega Duda e Werinton Moraes.

- 16h30: Mesa Redonda

Sob o tema “Sala de Recepção: a dimensão sagrada da roda de samba, o encontro de gerações e o seu diálogo com a comunidade” os samba-conversadores Ana Lúcia Ferraz, Arthur Tirone, Renato Dias, Tadeu Kaçula e Thobias da Vai-Vai.

- 19h: Exibição do documentário dirigido por Werinton Moraes, “Rainha de Quelé - Clementina de Jesus”.

- 14h: Exibição do documentário Sou Negro, não sei sambar , de Patrício Salgado

- 15h30: Documentário “Geraldo Filme”, de Carlos Cortez

Desde que o Samba é Sampa

16 Ago
a
02 Set

  • diariamente de 16/08 (Qui) a 02/09 (Dom)
    • das 10:00 às 17:00
    • das 10:00 às 17:00
  • diariamente de 16 (Qui) a 18/08 (Sáb)
    • das 14:00 às 19:00
    • das 14:00 às 19:00

Galeria Olido
Avenida São João, 473 - do térreo ao 2º andar Centro - Centro São Paulo - SP (11) 3331-8399 | 3397-0171
Estação República (Metrô - Linha 3 Vermelha e Linha 4 Amarela)
Catraca Livre

16 Ago
a
02 Set

  • diariamente de 16/08 (Qui) a 02/09 (Dom)
    • das 10:00 às 17:00
    • das 10:00 às 17:00
  • diariamente de 16 (Qui) a 18/08 (Sáb)
    • das 14:00 às 19:00
    • das 14:00 às 19:00

Casa de Cultura Palhaço Carequinha
Rua Professor Oscar Barreto Filho, 252 Parque América - Sul São Paulo - SP (11) 5924-9135 / 5925-4943
Catraca Livre