O grupo Garagem 21 criou uma nova versão para Esperando Godot, do irlandês Samuel Beckett (1906-1989), considerado um dos mestres do Teatro do Absurdo. O espetáculo estreia no dia 5 de novembro, no Viga Espaço Cênico, onde cumpre duas temporadas. A primeira delas ocorre até 18 de dezembro; a segunda, entre 21 de janeiro e 19 de fevereiro. As sessões ocorrem aos sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h, com ingressos vendidos por até R$40.

1/4

Crédito da imagem: Nelson Kao

Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

2/4

Crédito da imagem: Nelson Kao

Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

3/4

Crédito da imagem: Nelson Kao

Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

4/4

Crédito da imagem: Nelson Kao

Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

  • Crédito da imagem: Nelson Kao

    1/4

    Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

  • Crédito da imagem: Nelson Kao

    2/4

    Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

  • Crédito da imagem: Nelson Kao

    3/4

    Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

  • Crédito da imagem: Nelson Kao

    4/4

    Montagem de "Esperando Godot" mistura linguagens do Teatro de Tadeusz Kantor, das HQs e da dança contemporânea

Com direção de Cesar Ribeiro, a peça narra a espera infinita de Estragon e Vladmir por um sujeito chamado Godot. Eles não conhecem muito bem esse homem misterioso e nem sabem o que desejam dele. Apenas aguardam infinitamente embaixo de uma árvore.

Ao final de cada dia, um mensageiro de Godot avisa que seu mestre chegará no dia seguinte. Durante a vigília, surgem o patrão Pozzo e o escravo Lucky, que vagueiam sem destino pelo mundo. O empregado não larga a pesada mala de seu opressor.

Depois que os dois vão embora, Estragon e Vladmir voltam ao tédio. Para tentar matar o tempo, eles travam pequenas brigas, conversam mesmo sem ter assunto e refazem as mesmas perguntas.

A encenação mistura a linguagem do teatro do diretor polonês Tadeusz Kantor com elementos das histórias em quadrinhos, dos desenhos animados e da dança contemporânea. A ideia é criar uma reflexão sobre as relações entre as pessoas em uma sociedade em que o homem reproduz as lógicas da mercadoria e do capitalismo.

Outros temas tratados pela peça são a incomunicabilidade, a ignorância, a impotência, o vazio existencial e a morte. O elenco conta com a participação de Paulo Campos, Ulisses Sakurai, Paulo Olyva e Cadu Leite. A cenografia e o figurino são assinados por Telumi Hellen, formadora da SP Escola de Teatro.

Imagem Autor

A SP Escola de Teatro é um equipamento cultural da Secretaria do Estado da Cultura e tem por atribuições a formação profissional na arte teatral.

+ posts do autor

Esperando Godot

05 Nov
a
19 Fev

De 05/11 a 18/12:  Domingos às 19:00 Sábados às 20:00
De 21/01 a 19/02:  Domingos às 19:00 Sábados às 20:00

Viga Espaço Cênico
Rua Capote Valente, 1323 Pinheiros - Oeste São Paulo - SP
Estação Sumaré (Metrô - Linha 2 Verde)
R$40 (inteira) e R$20 (meia-entrada)
add Google Agenda
Classificação: 12 anos | Duração: 140 minutos (com 15 minutos de intervalo)