A Cinemateca Brasileira mais uma vez traz programação de cinema especial. Diretamente da terra dos vikings e Thor, o espaço promove mostra de filmes do cinema nórdico.

Em parceria com as Embaixadas da Suécia, Dinamarca, Finlândia e Noruega e com o Instituto Cultural da Dinamarca, as exibições acontecem de 4 a 13 de novembro, das 16h30 às 21h, com entrada a R$ 8.

O circuito traz filmes produzidos entre 2007 e 2010 para celebrar a cultura nórdica, já conhecida em São Paulo por sua tradicional "Feira Escandinava" – que começa no dia 9 deste mês.

Entre os destaques, estão: “Você, os vivos”, de Roy Andersson, “Os homems que não amavam as mulheres”, de Niels Arden Opley e “Metropia”, ficção científica de Tarik Saleh indica ao Prêmio do Júri na 33ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Confira abaixo a programação completa por dia:

Sala Cinemateca Bndes

Às 18h30
Caro senhor Horten (O'Horten. Noruega/Dinamarca/Alemanha/França, 2007, 90’. Dir.: Bent Hamer. 12 anos).
Depois de trabalhar por mais de quarenta anos na linha férrea, um condutor de trem se aposenta. Desconcertado com seu novo cotidiano, e como num sonho absurdo, ele vivencia insólitas experiências pelas ruas de Oslo. Comédia protagonizada pelo ator Baard Owe, que trabalhou com Lars von Trier no filme “Europa” e na série “O Reino”. Aqui, ele encarna, com sua interpretação contida e rosto pétreo, uma versão norueguesa do comediante Buster Keaton. Do mesmo diretor de “Factotum eHistórias de cozinha”.

Às 20h30
Em um mundo melhor (Hævnen. Dinamarca/Suécia, 2010, 119’. Dir.: Susanne Bier. 14 anos).

Anton é médico e trabalha num campo de refugiados na África, onde cuida de doentes e das vítimas de uma milícia local, enquanto sua ex-mulher e seus dois filhos moram na Dinamarca. O mais velho deles, Elias, sofre recorrentemente com a violência de colegas de escola. O assédio só termina quando Elias conhece um novo aluno, Christian, um menino revoltado com a morte da mãe. Enquanto Anton dedica-se a cuidar de seus pacientes, e dar o exemplo aos filhos, Elias une-se a Christian para agredir seus colegas de escola. Oscar de Melhor filme estrangeiro. Nome importante do cinema dinamarquês, Susanne Bier teve outros de seus longas lançados no Brasil – “Aconteceu naquele hotel” (1995),” Corações livres” (2002), que segue os preceitos do Dogma 95, “Depois do casamento” (2006), indicado ao Oscar de Melhor filme estrangeiro, e “Coisas que perdemos pelo caminho” (2007), com Halle Berry e Benicio Del Toro.

Sala Cinemateca Petrobras

Às 19h
Três homens e uma noite fria (Kolme viisasta miestä. Finlândia, 2008, 105’. Dir.: Mika Kaurismäki. 14 anos).

Em uma noite de Natal, três amigos se encontram num bar. Todos eles enfrentam graves problemas pessoais – o primeiro, um pai de família, desconfia da fidelidade da esposa; o segundo é um ator fracassado que sofre com a morte da mulher; o terceiro, um galã, padece de uma doença terminal. Em meio a tradicionais canções finlandesas e bebidas, eles revisitam suas memórias e dividem ressentimentos e alegrias.

Às 21h
Max Manus – o homem da guerra (Max Manus. .Noruega/Dinamarca/Alemanha, 2008, 118’. Dir.: Joachim Rønning e Espen Sandberg. 14 anos).

Baseado na vida do guerrilheiro e militante Max Manus, o filme retrata sua trajetória desde os tempos de luta contra os comunistas russos que invadiam a Finlândia até a resistência contra o exército nazista na Noruega, durante a Segunda Guerra Mundial. Melhor filme pelo Amanda Awards, mais importante premiação do cinema norueguês.

 

Sala Cinemateca Petrobras

Às 18h
Os homens que não amavam as mulheres (Män som hatar kvinnor.  Suécia/Dinamarca/Noruega/Alemanha, 2009, 152’. Dir.: Niels Arden Oplev. 16 anos).

Jornalista é contratado para investigar o caso de uma jovem desaparecida. Filha de um milionário, ela está sumida há 36 anos, sem deixar pistas. Enfrentando um processo por calúnia e difamação, o jornalista aceita o trabalho e, para tratar do caso, conta com a ajuda de uma incontrolável investigadora.  Sucesso de bilheteria na Europa, o filme é baseado no best-seller de Stieg Larsson.

Às 21h
Vocês, os vivos (Du Levande. Suécia/Dinamarca/Noruega/Alemanha/França/Japão, 2007, 95’. Dir.: Roy Andersson. 16 anos).

Composto por uma série de vinhetas, o filme é uma crônica do comportamento humano. Sem seguir uma estrutura tradicional, trabalhando com o humor negro e o nonsense, a narrativa acompanha uma galeria de personagens que vive situações triviais e repetitivas do cotidiano – uma garota apaixonada, empresários, donas de casa, criminosos, bêbados etc. “Vocês, os vivos” foi exibido na mostra “Um certo olhar” do Festival de Cannes de 2007.

Sala Cinemateca BNDES

Às 19h
Deixa ela entrar (Låt den rätte komma in.. Suécia, 2008, 115’. Dir.: Tomas Alfredson. 16 anos).

Garoto é constantemente assediado por seus colegas de escola. Seu desejo por um amigo se concretiza quando ele conhece uma menina da mesma idade. Séria e pálida, ela só sai de casa à noite e não é afetada pelo frio. Coincidentemente, misteriosos assassinatos começam a acontecer na cidade. Fascinado por histórias de terror, o menino logo descobre que sua nova amiga é, na verdade, uma vampira. Unindo suspense e terror ao drama de formação de dois adolescentes, Tomas Alfredson faz, em “Deixa ela entrar”, uma releitura original dos filmes de vampiro. O longa recebeu mais de 60 prêmios em diversos festivais internacionais.

Às 21h
Metropia (Suécia/Dinamarca/Noruega/Finlândia, 2009, 96’. Dir.: Tarik Saleh. 14 anos).

Num futuro não muito distante, o mundo padece com a falta de petróleo e o continente europeu é interligado por um gigantesco sistema subterrâneo de metrôs, gerido por uma companhia milionária. Morador de Estocolmo, um homem nunca andou nos trens e é mal visto por preferir sua bicicleta. Um dia, no entanto, ele se rende ao metrô e começa a ouvir estranhas vozes. Perturbado, pede ajuda a uma bela mulher e acaba se envolvendo numa sombria conspiração. Filme de animação, “Metropia” é a primeira obra de ficção de Tarik Saleh, diretor que começou a carreira como grafiteiro em Estocolmo. Indicado ao Prêmio do Júri na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2009, conta com a dublagem dos atores Vincent Gallo e Juliette Lewis.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=bDeQWv9_Ef0[/youtube]

 

Sala Cinemateca Petrobras

Às 18h30
Princess (Prinsessa. Finlândia, 2010, 104’. Dir.: Arto Halonen. 14 anos).

Uma paciente é diagnosticada como maníaco-depressiva, com sintomas de esquizofrenia. Ela afirma ser uma princesa e acredita que o hospital onde está internada é seu castelo. Seu caso desencadeia uma batalha entre a equipe de médicos e, enquanto isso, ela contagia a todos com sua personalidade alegre e irreverente. Premiado com o Helsinki Culture Prize em 2010.

Às 20h30
Os homens que não amavam as mulheres (Män som hatar kvinnor. Suécia/Dinamarca/Noruega/Alemanha, 2009, 152’. Dir.: Niels Arden Oplev. 16 anos).

Jornalista é contratado para investigar o caso de uma jovem desaparecida. Filha de um milionário, ela está sumida há 36 anos, sem deixar pistas. Enfrentando um processo por calúnia e difamação, o jornalista aceita o trabalho e, para tratar do caso, conta com a ajuda de uma incontrolável investigadora.  Sucesso de bilheteria na Europa, o filme é baseado no best-seller de Stieg Larsson.

 

Sala Cinemateca BNDES

Às 18h30
Em um mundo melhor (Hævnen. Dinamarca/Suécia, 2010, 119’. Dir.: Susanne Bier. 14 anos).

Anton é médico e trabalha num campo de refugiados na África, onde cuida de doentes e das vítimas de uma milícia local, enquanto sua ex-mulher e seus dois filhos moram na Dinamarca. O mais velho deles, Elias, sofre recorrentemente com a violência de colegas de escola. O assédio só termina quando Elias conhece um novo aluno, Christian, um menino revoltado com a morte da mãe. Enquanto Anton dedica-se a cuidar de seus pacientes, e dar o exemplo aos filhos, Elias une-se a Christian para agredir seus colegas de escola. Oscar de Melhor filme estrangeiro. Nome importante do cinema dinamarquês, Susanne Bier teve outros de seus longas lançados no Brasil – “Aconteceu naquele hotel” (1995),” Corações livres” (2002), que segue os preceitos do Dogma 95, “Depois do casamento” (2006), indicado ao Oscar de Melhor filme estrangeiro, e “Coisas que perdemos pelo caminho” (2007), com Halle Berry e Benicio Del Toro.

Às 21h
Caro senhor Horten (O'Horten. Noruega/Dinamarca/Alemanha/França, 2007, 90’. Dir.: Bent Hamer. 12 anos).
Depois de trabalhar por mais de quarenta anos na linha férrea, um condutor de trem se aposenta. Desconcertado com seu novo cotidiano, e como num sonho absurdo, ele vivencia insólitas experiências pelas ruas de Oslo. Comédia protagonizada pelo ator Baard Owe, que trabalhou com Lars von Trier no filme “Europa” e na série “O Reino”. Aqui, ele encarna, com sua interpretação contida e rosto pétreo, uma versão norueguesa do comediante Buster Keaton. Do mesmo diretor de “Factotum eHistórias de cozinha”.

Sala Cinemateca Petrobras

Às 18h30
Max Manus – o homem da guerra (Max Manus. Noruega/Dinamarca/Alemanha, 2008, 118’. Dir.: Joachim Rønning e Espen Sandberg. 14 anos).

Baseado na vida do guerrilheiro e militante Max Manus, o filme retrata sua trajetória desde os tempos de luta contra os comunistas russos que invadiam a Finlândia até a resistência contra o exército nazista na Noruega, durante a Segunda Guerra Mundial. Melhor filme pelo Amanda Awards, mais importante premiação do cinema norueguês.

Às 21h00
Princess (Prinsessa. Finlândia, 2010, 104’. Dir.: Arto Halonen. 14 anos).

Uma paciente é diagnosticada como maníaco-depressiva, com sintomas de esquizofrenia. Ela afirma ser uma princesa e acredita que o hospital onde está internada é seu castelo. Seu caso desencadeia uma batalha entre a equipe de médicos e, enquanto isso, ela contagia a todos com sua personalidade alegre e irreverente. Premiado com o Helsinki Culture Prize em 2010.

Sala Cinemateca Bndes

Às 19h
Vocês, os vivos (Du Levande. Suécia/Dinamarca/Noruega/Alemanha/França/Japão, 2007, 95’. Dir.: Roy Andersson. 16 anos).

Composto por uma série de vinhetas, o filme é uma crônica do comportamento humano. Sem seguir uma estrutura tradicional, trabalhando com o humor negro e o nonsense, a narrativa acompanha uma galeria de personagens que vive situações triviais e repetitivas do cotidiano – uma garota apaixonada, empresários, donas de casa, criminosos, bêbados etc. “Vocês, os vivos” foi exibido na mostra “Um certo olhar” do Festival de Cannes de 2007.

Às 21h
Deixa ela entrar (Låt den rätte komma in.  Suécia, 2008, 115’. Dir.: Tomas Alfredson. 16 anos).

Garoto é constantemente assediado por seus colegas de escola. Seu desejo por um amigo se concretiza quando ele conhece uma menina da mesma idade. Séria e pálida, ela só sai de casa à noite e não é afetada pelo frio. Coincidentemente, misteriosos assassinatos começam a acontecer na cidade. Fascinado por histórias de terror, o menino logo descobre que sua nova amiga é, na verdade, uma vampira. Unindo suspense e terror ao drama de formação de dois adolescentes, Tomas Alfredson faz, em “Deixa ela entrar”, uma releitura original dos filmes de vampiro. O longa recebeu mais de 60 prêmios em diversos festivais internacionais.

Sala Cinemateca Bndes

Às16h30
Princess (Prinsessa. Finlândia, 2010, 104’. Dir.: Arto Halonen. 14 anos).

Uma paciente é diagnosticada como maníaco-depressiva, com sintomas de esquizofrenia. Ela afirma ser uma princesa e acredita que o hospital onde está internada é seu castelo. Seu caso desencadeia uma batalha entre a equipe de médicos e, enquanto isso, ela contagia a todos com sua personalidade alegre e irreverente. Premiado com o Helsinki Culture Prize em 2010.

Às 18h30
Metropia (Suécia/Dinamarca/Noruega/Finlândia, 2009, 96’. Dir.: Tarik Saleh. 14 anos).

Num futuro não muito distante, o mundo padece com a falta de petróleo e o continente europeu é interligado por um gigantesco sistema subterrâneo de metrôs, gerido por uma companhia milionária. Morador de Estocolmo, um homem nunca andou nos trens e é mal visto por preferir sua bicicleta. Um dia, no entanto, ele se rende ao metrô e começa a ouvir estranhas vozes. Perturbado, pede ajuda a uma bela mulher e acaba se envolvendo numa sombria conspiração. Filme de animação, “Metropia” é a primeira obra de ficção de Tarik Saleh, diretor que começou a carreira como grafiteiro em Estocolmo. Indicado ao Prêmio do Júri na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em 2009, conta com a dublagem dos atores Vincent Gallo e Juliette Lewis.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=bDeQWv9_Ef0[/youtube]

Às 20h30
Três homens e uma noite fria (Kolme viisasta miestä. Finlândia, 2008, 105’. Dir.: Mika Kaurismäki. 14 anos).

Em uma noite de Natal, três amigos se encontram num bar. Todos eles enfrentam graves problemas pessoais – o primeiro, um pai de família, desconfia da fidelidade da esposa; o segundo é um ator fracassado que sofre com a morte da mulher; o terceiro, um galã, padece de uma doença terminal. Em meio a tradicionais canções finlandesas e bebidas, eles revisitam suas memórias e dividem ressentimentos e alegrias.

 

 

 

 

Invasão do Cinema Nórdico

04 Nov
a
13 Nov

  • diariamente de 4 (Sex) a 13/11 (Dom)
    • das 16:30 às 21:00

Cinemateca Brasileira
Largo Senador Raul Cardoso, 207 Vila Clementino - Sul São Paulo - SP (11) 3512-6111
R$ 8*
R$ 4* (meia). Verifique a classificação indicativa dos filmes.