Foi pensando numa forma de disseminar arte e coletividade na região da estação da Luz, que a Cia. Pessoal do Faroeste se instalou no bairro.

Após um período de vivências e reflexões sobre aquele contexto, a cia. promove entre 27 de novembro e 10 de fevereiro de 2013, o Projeto Boca Livre - referência explícita ao projeto vanguardista que também ocorrera naquela região - , que ocorre na Sede Luz do Faroeste. As atividades serão paralisadas no período de festas, entre 23 de dezembro e 11 de janeiro.

Com entrada pelo sistema “pague quanto puder”, a iniciativa tem programação semanal que se estende de terça à domingo. Além de três espetáculos, a série inclui também palestras, debates, exibições de filmes,leituras dramáticas e apresentações musicais. A sessão de conversas, às quartas-feiras, tem entrada Catraca Livre.

O eixo musical do evento acontece sempre às terças-feiras em dois horários, um às 19h30 e o outro às 21h30. Nomes do cenário contemporâneo como Karina Ninni e Felipe Roseno são algumas atrações.

Confira horários e sinopses das peças teatrais que integram a programação do evento:

- Quartas, às 21h30

Indicado ao Shell e CPT/2010, a peça traz a história de um casal de latifundiários, perto de completar 30 anos de casamento. Eles têm uma intensa discussão que, após as questões amorosas, aborda a questão financeira. O autor do drama, Paulo Faria, faz o papel do marido e também dirige o espetáculo, ao lado de Beto Magnani. A esposa é interpretada pela atriz Graciana Magnani.

- Quinta, às 21h30

O drama escrito pelo dramaturgo Paulo Faria é ambientado em uma área rural do Brasil e traz elementos do romance O Estrangeiro, de Albert Camus, além de influências da obra de Guimarães Rosa. Com abordagem sensível (e que dispensa as referências intelectuais), Paulo Faria conta a história de mãe e filha que moram em uma pensão decadente, em uma cidade ameaçada pela construção de uma usina. A mãe, a amarga Cora (interpretada pela atriz Juliana Fagundes), e a filha caçula, Belbelita (Thais Aguiar), além de clientes, esperam uma visita. Há 30 anos, a mãe vendeu seu primogênito para que ele enriquecesse e voltasse para buscá-las. Surge um misterioso hóspede (Beto Magnani) que pode ser a chave para que elas possam deixar a cidade.

sextas e sábado, às 21h30, e domingos, às 19h30

Nos arredores dos Campos Elíseos, Bom Retiro, Luz e Santa Ifigênia, entre as décadas de 60 e 80, São Paulo viu surgir as principais produtoras de cinema da cidade que tiveram seu apogeu com as pornochanchadas. A Boca do Lixo, como o local (e sua história) ficou conhecido, foi recriado pela Cia. Pessoal do Faroeste em um espetáculo (drama) escrito por Paulo Faria. A peça reúne personagens inspirados em quem circulava por lá, como a cantora Wanda Scarlatti (interpretada pela atriz Mel Lisboa), que quer financiar um filme desde que protagonize uma cena de sexo explícito e chama Tony Reis (Roberto Leite) para conduzir a produção. Tony, que quer realizar filmes de arte, sente-se frustrado por depender da pornochanchada. Aceita participar da produção, mas tenta tirar proveito da situação. Com Juliana Fagundes, Beto Magnani e outros.

Projeto Boca Livre

27 Nov
a
10 Fev

  • de 27/11 a 10/02
    • Terças, Quartas, Quintas, Sextas, Sábados e Domingos das 19:30 às 21:30

Sede Luz do Faroeste
Rua do Triunfo, 301 - Metrô Luz Santa Efigênia São Paulo - SP
Estação Luz (Metrô - Linha 4 Amarela)
pague quanto vale