Inspirado nos diários da escritora francesa Simone Weil (1909-1943), o espetáculo A Última Dança mostra o dia-a-dia de uma fábrica no início do século 20. A peça protagonizada por Natalia Gonsales e escrita por César Baptista reestreia no Viga Espaço Cênico dia 19 de setembro para temporada até 14 de novembro. As sessões ocorrem às segundas-feiras, às 21h, com ingressos que custam até R$30.

1/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

2/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

3/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

4/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

5/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

6/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

7/7

Crédito da imagem: Carla Trevizani

'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    1/7

    'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    2/7

    'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    3/7

    'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    4/7

    'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    5/7

    'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    6/7

    'A Última Dança'

  • Crédito da imagem: Carla Trevizani

    7/7

    'A Última Dança'

Filha de médicos judeus, Weil nasceu em 1909 em Paris e, aos 25 anos, se licenciou por dois anos do emprego de professora de filosofia para trabalhar como operária em uma fábrica. Seu objetivo era analisar a condição operária e a opressão social, o que, a seu ver, só era possível por meio da experiência direta. Ela registrou impressões e experiências no livro “Expérience de la vie d'usine" ("Vivendo a vida da fábrica").

O espetáculo transporta o espectador para uma linha de produção industrial do início do século 20, utilizando máquinas como parte de seu cenário – assinado por Flávio Tolezani – e trilha composta por ruídos de correias e barulhos de macetadas transformados em músicas pelo compositor Daniel Maia. Por sua vez, a luz desenhada por Igor Sane é responsável pela atmosfera dura e fria de uma fábrica e pela mudança de temperatura ambiente a que os operários eram submetidos.

Além dos escritos da filósofa, a montagem também tem inspiração nas pesquisas de Eclea Bosi, professora emérita Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo e autora de “Simone Weil – A condição operária e outros estudos sobre a opressão”. A variedade de fontes permitiu que a dramaturgia também explorasse outras passagens da breve biografia da francesa, que morreu de tuberculose aos 34 anos, como sua participação na Guerra Civil Espanhola, onde lutou ao lado dos republicanos, e na Resistência Francesa contra a ocupação nazista.

"A Última Dança"

19 Set
a
14 Nov

De 19/09 a 14/11:  Segundas às 21:00

Viga Espaço Cênico
Rua Capote Valente, 1323 Pinheiros - Oeste São Paulo - SP
Estação Sumaré (Metrô - Linha 2 Verde)
R$30 (inteira) e R$15 (meia)
add Google Agenda
Classificação: 12 anos | Duraação: 60 minutos