por Prabhakar Pachpute/divulgação

Créditos: por Prabhakar Pachpute/divulgação

Se você não conhece 'as coisas que não existem', visite a 31ª Bienal de São Paulo

"Trans": transgressão; transformação; transcendente; transgênero. A 31ª Bienal de São Paulo, um dos eventos mais importantes de arte contemporânea a nível mundial, pode ser considerada a edição "Trans Bienal", de acordo com a equipe curatorial. Isso porque as obras que ocupam o Pavilhão da Bienal entre 6 de setembro e 7 de dezembro estão em constante transição, alterando-se ao longo do período expositivo.

Esta edição já conta com 81 projetos artísticos selecionados, o que envolve mais de 100 participantes e cerca de 250 obras integrantes. Além disso, quase metade das obras apresentadas são inéditas. O que guia a curadoria neste ano é o tema "Como (...) Coisas que Não Existem", sendo que a frase é variável, podendo fazer menção às coisas que ainda não foram inventadas ou descobertas.

Veja algumas fotos de como está ficando a Bienal:

1/10

 

© Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

2/10

 

© Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

3/10

 

© Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

4/10

 

© Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

5/10

 

© Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

6/10

 

© Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

7/10

 

© Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

8/10

 

© Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

9/10

 

© Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

10/10

 

© Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    1/10

    © Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    2/10

    © Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    3/10

    © Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    4/10

    © Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    5/10

    © Pedro Ivo Trasferetti / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    6/10

    © Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    7/10

    © Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    8/10

    © Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    9/10

    © Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

  •  

    10/10

    © Leo Eloy / Fundação Bienal de São Paulo

De acordo com Pablo Lafuente, um dos curadores, a 31ª Bienal "serve para que o público aprenda com as coisas que não existem - ou até lutem contra elas - numa espécie de misticismo".

ondemand_video Vídeos do Catraca

Lafuente conclui: "É importante entender que arte não faz uma única coisa. Ela pode gerar diversos questionamentos. Por meio da arte, a gente pode mudar o mundo".

O espírito de produção coletiva e de transformação, destaque do evento, também está expresso no desenho do cartaz de divulgação da 31ª Bienal, feito pelo artista indiano Prabhakar Pachpute.

Produzida em uma "jornada", na qual curadores, artistas, educadores e demais profissionais da área estão envolvidos, a programação tem seus olhos voltados à educação. Segundo Nuria Enguita Mayo, também curadora, os artistas e coletivos artísticos dessa edição estão ligados a projetos de arte educativos.

Confira o novo site da 31ª Bienal de São Paulo e acompanhe todas as novidades da programação.

31ª Bienal de São Paulo

06 Set
a
07 Dez

  • de 06/09 a 07/12
    • Terças, Quintas, Sábados e Domingos das 09:00 às 19:00
    • Quartas e Sextas das 09:00 às 22:00

Pavilhão da Bienal
Avenida Pedro Álvares Cabral, s/ nº - Portão 3, Parque do Ibirapuera Parque Ibirapuera - Sul São Paulo - SP
Catraca Livre