Dois grandes músicos e uma das cantoras e compositoras mais poderosas da atualidade se uniram e criaram o projeto Sambas do Absurdo.

Juçara Marçal, Gui Amabis e Rodrigo Campos inspiraram-se no livro "O Mito de Sísifo", do francês Albert Camus, e versam sobre as questões tratadas na obra por meio de sambas - à sua maneira.

Créditos: Luan Cardoso

Juçara Marçal, Gui Amabis e Rodrigo Campos: os Sambas do Absurdo

A próxima oportunidade de conferir o trabalho ao vivo é neste sábado, dia 16 de setembro, às 20h no Itaú Cultural, localizado na Avenida Paulista.

A entrada é Catraca Livre e a distribuição de ingressos acontece na bilheteria. Para o público preferencial, duas horas antes do espetáculo e, não preferencial, uma hora antes.

No livro de Camus que serviu de inspiração, a única questão filosófica que importa é o suicídio, e quando encontra-se o Absurdo, que seria a falta de sentido da vida, tem-se duas opções: suicídio ou aprende a viver uma vida absurda.

As letras são de Nuno Ramos, em parceria com Rodrigo Campos, responsável pelos sambas. A proposta estética da banda visa quebrar alguns alicerces do samba enquanto gênero, trazendo resultando mais obscuro, dissolvido, vertiginoso – o que talvez seja o mais próximo do Absurdo.

No palco, Juçara canta, Rodrigo toca violão, cavaquinho e guitarra, e Gui arranja, fazendo valer seus recursos de produtor e sua maneira peculiar de samplear.


Mais SP:

Festival exibe filmes classicões em alta qualidade na Rua Augusta

Sambas do Absurdo

16 Set

Sáb 16/09  às 20:00 

Itaú Cultural
Avenida Paulista, 149 Bela Vista - Centro São Paulo - SP (11) 2168-1700
Estação Brigadeiro (Metrô - Linha 2 Verde)
Catraca Livre