De 8 a 14 de outubro o Cine Olido apresenta exibições de longas-metragens contemporâneos que não chegaram ao circuito comercial brasileiro.

15h

Fita Mixada Rotação33: Dj Kl Jay

(Brasil/SP, 2010, 65 min).

O documentário registra uma performance de KL Jay, ao vivo em estúdio, composta inteiramente por faixas de rap nacional, algumas produzidas por ele mesmo.

Dir.: Pedro Caldas, Ivan Ferreira e Gabriel Ranzani.

17h

Só quem é sabe o que é

(Brasil/SP, 2010, 45 min).

Documentário sobre futebol que não mostra nem os jogadores nem a bola. Trata-se do retrato de uma grande torcida do Brasil: a do Corinthians.

Dir.: Artur Voltolini, Phydia de Athayde e Ronaldo Bressane.

15h

Separações

(Holanda, 2009, 83 min).

A diretora brasileira Andréa Seligmann procura traçar os movimentos imigratórios e emocionais dentro de sua família, de origem judia alemã, ao mesmo tempo em que explora os sentimentos contraditórios suscitados pela diáspora ocorrida em sua geração na qual, dos cinco irmãos, três vivem fora do Brasil.

Dir.: Andréa Seligmann Silva e Mieke Bal.

19h30

Belair

(Brasil/SP, 2009, 80 min).

Em 1970, a produtora cinematográfica Belair Filmes, dos cineastas Júlio Bressane e Rogério Sganzerla, realizou sete produções em apenas cinco meses. Censurados pela ditadura militar, os cineastas saíram do país, e os filmes permanecem pouco conhecidos até hoje.

Dir.: Noa Bressane e Bruno Safadi.

15h

Aqui, doido varrido não vai debaixo do tapete

(Brasil/RJ, 2010, 87 min).

Por meio das histórias de pacientes, familiares e equipe médica, o documentário busca mostrar, de forma descontraída, o que se esconde atrás de estereótipos e preconceitos que cercam a doença mental.

Dir.: Rodrigo Séllos e Rená Tardin.

17h

Nas rodas do choro

(Brasil/RJ, 2009, 50 min).

O universo do choro tendo como interesse principal o processo de aprendizado desse gênero tipicamente brasileiro.

Dir.: Milena Sá.

17h

Caminhoneiros

(Brasil/SP, 2007, 52 min).

O filme retrata o cotidiano dos caminhoneiros vencendo as condições precárias das estradas brasileiras, protegendo-se dos roubos e consumindo remédios para permanecerem acordados.

Dir.: Rodrigo Meirelles, Patricia Oriolo e Juarez Malavazzi Jr.

19h30

Bixiga Samba

(Brasil/SP, 2006, 65 min).

Manifestações do samba no bairro do Bixiga, em São Paulo, como na Escola de Samba Vai Vai e na formação musical de crianças e jovens que participam do Movimento Bixigão, do Teatro Oficina.

Dir.: Tommy Pietra e Fernando Coimbra.

Cinema brasileiro