Oliveira Silveira

(1941-2009)

O poeta da consciência negra

Oliveira Silveira nasceu no interior do Rio Grande do Sul, formou-se em Letras e dedicou sua vida à militância e à produção literária que enaltece a dignidade negra.

Em 1962 publicou seus primeiros poemas. Escreveu, ao longo de sua trajetória, dezenas de livros, entre eles "Banzo Saudade Negra", "Pelo Escuro" e "Anotações à Margem".

É considerado um dos intelectuais gaúchos de maior destaque, no Brasil e no exterior. Sua voz e versos são resistência, contra o racismo e valorização da cultura afro-brasileira.

Atuou no Movimento Negro intensamente. Fundou o grupo Semba, a Associação Negra de Cultura e integrou o corpo editorial da revista Tição.

Em 1971, Oliveira Silveira e seus companheiros fundaram também o extinto Grupo Palmares na capital gaúcha. Lembrando que o país estava em uma Ditadura.

Lutou para que o Congresso aprovasse o 20 de Novembro como o Dia da Consciência Negra e reconhecesse Zumbi dos Palmares como herói nacional. E conseguiu.

A data foi instituída como o Dia da Consciência Negra

em 1978 e marcou o nascimento do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial (MNUCDR).

Hoje, 20 de Novembro é feriado oficial nos estados de Alagoas, Amazonas, Amapá, Mato Grosso e Rio de Janeiro, e em mais de mil cidades em todo o país.

Poesia

Encontrei minhas origens

"Encontrei minhas origens em velhos arquivos ...... livros encontrei em malditos objetos troncos e grilhetas encontrei minhas origens no leste no mar em imundos tumbeiros

encontrei em doces palavras ...... cantos em furiosos tambores ....... ritos encontrei minhas origens na cor de minha pele nos lanhos de minha alma em mim

em minha gente escura em meus heróis altivos encontrei encontrei-as enfim me encontrei"

(Oliveira Silveira)

Textos Tamiris Gomes

Produção Thamyres Donadio