Últimas notícias:

Loading...

Conheça a Vila Itororó: de moradia à um potente centro cultural em SP

Espaço localizado entre a Bela Vista e a Liberdade é formado por mais de 10 edificações, construídas no início do século 20 com restos de demolição

Por: Redação

Terça - Quarta - Quinta - Sexta - Sábado - Domingo

Das 10h às 19h

Recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência não informados pelo próprio organizador do evento

Grátis

Caminhar por SP com um pouco de tranquilidade significa descobrir verdadeiras preciosidades arquitetônicas. Em meios aos prédios envidraçados e ao caos urbano, lugares pitorescos, como a Vila Itororó, guardam muito bem a história da cidade e suas transformações.

Ao longo de 80 anos, o espaço serviu como moradia tanto da aristocracia paulistana quanto da população de baixa renda, despertando até o interesse do Sesc, em 1978, para se tornar um centro cultural.

Centro Cultural Vila Itororó
Crédito: Reprodução - Facebook @SaoPauloCulturaO local pode ficar com um visual bastante mágico à noite

Em 2002, a vila foi tombada pelo CONPRESP e, em 2005, pelo Condephaat, por isso a desapropriação foi inevitável. Após muitas brigas judiciais, em 2013, as 71 famílias que habitavam o local foram encaminhadas para três conjuntos habitacionais, dois localizados nas imediações da vila e um terceiro no Bom Retiro. Iniciava-se assim um processo de restauro realizado pela Prefeitura de São Paulo em parceria com o Instituto Pedra.

Assim, desde setembro de 2021 a Vila Itororó consegue receber os mais variados tipos de atividades culturais com toda a segurança. O público tem acesso a uma programação gratuita de shows, festas, festivais, espetáculos teatrais, sarais e exibição de filmes. Saiba tudo neste link aqui. Tudo em um ambiente único!

Centro Cultural Vila Itororó
Crédito: Reprodução - Facebook @SaoPauloCulturaApós um longo processo de restauro, a Vila Itororó está pronta para receber um público bem diverso

Além disso, o local é sede de um laboratório de fabricação digital da rede FAB LAB LIVRE SP, formado por impressoras 3D, cortadora a laser, fresadora CNC, computadores com software de desenho digital CAD, equipamentos de eletrônica e robótica e ferramentas de marcenaria e mecânica; e do Centro de Referência de Promoção da Igualdade Racial, que oferece orientação profissional em casos de discriminação racial, oficinas, debates e ações culturais para promover a igualdade.

Se você é o tipo de pessoa que adora aprender coisas novas e a colocar a mão na massa, vale a pena ficar atento(a) a programação de oficinas da Vila Itororó.

As mudanças na Vila Itororó

Idealizada e construída por Francisco de Castro, nascido em Guaratinguetá (SP) e filho de portugueses, a vila é fruto direto da modernização de São Paulo, nos anos 1900.

Naquele momento, acontecia a transição para uma economia urbano-industrial, e a população não parava de crescer. Em 1890, eram 65 mil habitantes e, em 1900, esse número chegou a 240 mil.

Esse crescimento desenfreado acarretou uma série de desafios, sobretudo em relação à moradia e criação de infraestrutura. Assim, o setor da construção civil ficou bastante dinâmico, com novas edificações se erguendo do dia para a noite.

O projeto ambicioso de Francisco de Castro foi todo construído com restos de demolição, incluindo carrancas e ornamentos do Teatro São José, inaugurado em 1909 no viaduto do Chá. Há também objetos de origem indeterminada, como vasos, estátuas e estatuetas de ferro fundido, leões, águias, bancos de madeira e placas de bronze.

Vila Itororó
Crédito: Acervo Milu Leite - reprodução/ site Centro Cultural Vila ItororóVila Itororó está em uma área estratégica em SP

Todo o impressionante conjunto soma mais de 10 edificações em uma área de cerca de 6mil m². No terreno, além das moradias, funcionou o Parque Itororó, com direito até a piscina, que hoje foi ressignificada.

Centro Cultural Vila Itororó
Crédito: Reprodução - Facebook @SaoPauloCulturaOlha que demais essa nova área da piscina!

Situada em um lugar bastante estratégico da cidade, próxima de bairros com uma intensa vida cultural, escolas e emprego, a Vila Itororó viveu seu auge entre os anos 1930 e 1970.

Com o passar dos tempos, quando a Av. 23 de Maio e outras obras de urbanização foram concluídas, a função de moradia passou a ser menos atrativa para o proprietário do lugar. Na imprensa, a vila era tratada ora como um “conjunto de habitação coletiva, explorada em regime de sublocação”, ora como “o tradicional conjunto de casas pobres e cortiços da Bela Vista”, ou ainda, como o lugar que foi “ponto de encontro da aristocracia paulista [e que] hoje tem aspecto de cortiço”.

Hoje, o espaço se tornou um importante centro cultural, super democrático!

Que tal explorar ainda mais a cidade de São Paulo?