O início de uma plataforma de cultura e educação

Por: Redação | Comunicar erro

O Catraca Livre foi desenvolvido em julho de 2009 por estudantes universitários da USP, PUC, FAAP, Mackenzie e Metodista, a plataforma foi idealizada pelo jornalista Gilberto Dimenstein, ganhador dos principais prêmios brasileiros de jornalismo e de literatura.

Ele é criador da Cidade Escola Aprendiz, onde se desenvolveu o programa de bairro-escola, replicado com apoio do Unicef e Unesco – esse modelo foi avaliado pela Escola de Administração de Harvard  como um exemplo de inovação comunitária. É autor de livros didáticos e de projetos curriculares de comunicação aplicada em escolas, entre os quais o Colégio Bandeirantes. Por seu trabalho de educador e jornalista, foi apontado pela revista Época como um dos 100 brasileiros mais influentes.

O site surgiu da necessidade de agrupar, em uma única plataforma, as novidades gratuitas do cenário cultural paulistano. Inicialmente, foram divulgadas as atividades do Centro da cidade. Aos poucos, todos os equipamentos culturais paulistanos começaram a ter suas atividades divulgadas. Hoje, além das atrações da capital, fazem parte da divulgação as ações realizadas na região metropolitana de São Paulo e no Rio de Janeiro.

Ao longo de sua história, o sistema de atualização de publicação do Catraca Livre passou por três etapas. A primeira – alimentada por Dreamweaver – teve duração de quatro meses, aproximadamente.

reprodução
Primeira Versão do Catraca Livre

A segunda evoluiu para a plataforma WordPress. Toda programação e layout do site foram desenvolvidos pela empresa HackLab. O mecanismo serviu para aperfeiçoar a alimentação de dados no site. Além disso, proporcionou uma melhor navegabilidade para o leitor. Durou cerca de um ano.

reprodução
Segunda Versão do Catraca Livre

Já a terceira versão foi lançada em janeiro de 2010. Ela continua sendo alimentada pela plataforma WordPress e tem maior organização na hierarquia das notícias.

reprodução
Terceira Versão do Catraca Livre

Surge em março de 2013 a quarta versão do Catraca Livre. Também alimentada por WordPress, a atual versão possui sistema de geolocalização. Na prática, significa que o usuário pode encontrar atividades culturais, espaços e/ou serviços próximos a ele. A busca pode ser feita por celular ou computador.

Nesta data surge também a página exclusiva do Catraca Livre Rio.

reprodução
Quarta Versão do Catraca Livre

Compartilhe: