Pista de patinação no gelo gratuita oferece trenó para pets

5 crianças que mudaram sua realidade através da imaginação

"São pessoas de baixa renda que não têm a possibilidade de comprar esses aquecedores, então o que fazem é cortar as árvores para obter lenha, o que afeta o mundo através da mudança climática", contou Xóchitl Guadalupe.

site: www2.ambiente.sp.gov.br

telefone: (11)2683-6302

email: pvl@sp.gov.br

O que elas têm em comum? A liberdade de criar e buscar inspiração nos mais singelos estímulos!

Quando se é criança, pequenos gestos ou estímulos têm a força de inspirar grandes ideias e transformações. É como se toda criança fosse um cientista. Elas querem testar, perguntar, e a imaginação vive dando às caras o tempo todo. É nisso que a Play-Doh acredita: no incentivo ao imaginar, estimular e inventar para promover um futuro melhor.

Faz todo sentido pensar assim quando escutamos algumas garotinhas como Adora Svitak, que aos 10 anos, em 2010, fez um discurso no TED dizendo o que os adultos poderiam aprender com as crianças.  Na palestra, ela defende que o mundo precisa de  ideias arrojadas, criatividade selvagem e especialmente o otimismo dos mais jovens.

Em meio aos problemas, algumas crianças imaginaram novas possibilidades e foram adiante quando questionaram alguma dificuldade. Algo ficou inquieto naquela cabecinha e uma grande ideia fez com que elas mudassem a sua realidade, a de uma comunidade ou até cruzassem fronteiras trazendo conhecimento ao mundo. São elas:

1. Xóchitl Guadalupe Lopez Cruz, 8 anos 

Desde os 4 anos, Xóchitl Guadalupe Cruz López, já tinha interesse em descobrir a ciência. Finalmente aos 8 anos ela colocou a mão na massa, ou melhor, na água, para criar um aquecedor solar feito inteiramente de objetos descartados –  incluindo mangueiras, painéis de vidro de um antigo canteiro de obras e troncos .

A invenção fez com que ela fosse a primeira criança a ganhar um prêmio destinado aos adultos, da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM). Ela teve a ajuda do seu pai e construiu o artefato no telhado da própria casa. ” O que eu fiz foi fazer este aquecedor a partir de objetos reciclados que não prejudicam o meio ambiente”, disse em um vídeo do site El Universal.

2. Francisco Alexandre Batalha, 12 anos

A deficiência auditiva de um garoto nascido em Manaus foi constatada nos primeiros 15 dias de vida, mas foi apenas aos 2 anos que ele começou a ouvir. Alexandre e sua família não imaginavam que nascer com a surdez profunda, no futuro, o faria um “desenvolvedor de aplicativo”. Após a implantação dos ouvidos biônicos, anos mais tarde, o menino decidiu melhorar a vida de quem vive como ele.

Um concurso selecionou 240 crianças inventoras no mundo e quem liderou essa corrida pela invenção mais inovadora foi o app do Alê, que tinha como objetivo controlar o implante e equalizar o som do aparelho pelo smartphone. O concurso foi idealizado pela Ideas For Ears, promovido pela MED-EL.

“O que mais me incomoda é o barulho de fora, porque quando estou assistindo a um vídeo tem o som de carros que atrapalham, eu queria que nesse aplicativo tivesse uma função que tirasse os sons de fora”, contou ao site GaúchaZh.

3. Lauren Hodge, 14 anos

Lauren Hodge tem competido em projetos de feiras de ciências desde os 7 anos de idade, segundo o TED.

Hoje, com 21 anos, Lauren não imaginava que ultrapassaria cientistas renomados no estudo do consumo da carne de frango menos cancerígena. Morando nos EUA, na Pensilvânia, a garota descobriu que marinar o frango antes de grelhar a carne diminuiria as possibilidades das substâncias causarem a doença.

Ela pensou nisso quando estava na sala de espera de um consultório e leu quais eram as substâncias cancerígenas que poderiam ser encontradas no alimento. A jovem foi premiada na Google Science Fair pelo projeto. “Embora não possamos eliminar todos os cancerígenos da nossa dieta, diminuindo as quantidades podemos melhorar a qualidade de vida”, contou.

4. João Paulo Guerra Barrera, 7 anos

O embaixador oficial do Science Days 2018, da Nasa, é um garotinho brasileiro. Ele superou 6.000 crianças de todo o mundo e ganhou projeção internacional ao vencer um torneio científico da agência do Governo Federal dos Estados Unidos responsável pela pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração espacial.

João criou um projeto sobre colonização espacial, que virou game e o livro bilíngue “No Mundo da Lua e dos Planetas”.

5. Henrique Blaco Arouca, 8 anos

Crédito: Reprodução/TV TemA mãe de Pedro até lhe deu um álbum, mas o problema era completá-lo, já que ela não tinha condições de comprar as figurinhas, segundo o site G1.

Se tem alguém que usou de fato a imaginação foi o Henrique. Ele mostrou que nem todas as crianças têm acesso aos passatempos “da moda”, mas todas elas podem sonhar e realizar. Pensando em acompanhar a onda da Copa do Mundo, o menino desenhou o próprio álbum de figurinhas.

Participe do Dia da Imaginação

Estimular o desenvolvimento infantil desde a infância é algo que pode tornar o começo da vida diferente, assim como aconteceu com as crianças acima. O Dia da Imaginação com Play-Doh, 16 de setembro, é a possibilidade de incentivar os pequenos a  produzir e despertar novas ideias . O evento é gratuito e aberto para criar e pensar também a cidade onde todos gostariam de morar daqui a 30 anos , das 9h às 15h, no Anfiteatro Parque Villa-Lobos.

Crédito: Divulgação/Hasbro/Play-DohA Cidade do Futuro terá muitas brincadeiras que estimulam os pequenos.

Por lá, será possível desenvolver peças da Cidade do Futuro, com uma maquete gigante de 65m2 feita para adultos e crianças, além de conhecer painel de profissões do amanhã, brincar com a cápsula do tempo Play-Doh, curtir djs e banda de músicas infantis, entre outras atividades. Um mundo de possibilidades pra galerinha que adora fantasiar. Participe!

Compartilhe:

Autor: Por: Publi