Conheça museus e bibliotecas para você ir de bicicleta

Museu da Casa Brasileira, MIS e Casa das Rosas são alguns dos lugares onde é possível visitar acompanhado de uma "magrela"

Por: Redação

Quer pegar a “magrela” e sair de rolê pelos espaços públicos da cidade, mas não sabe quais deles possuem um bicicletário? Seus problemas acabaram. A Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo criou uma lista com algumas das instituições do Governo que oferecem o serviço gratuitamente.

Tem desde Museu da Casa Brasileira, MIS-SP e Casa das Rosas, até as Bibliotecas de São Paulo e Parque Villa-Lobos. Pegue o capacete, escolha o caminho mais seguro e bora pedalar:

Localizado na Avenida Faria Lima, o Museu da Casa Brasileira (foto) tem um bicicletário que comporta até 40 bicicletas. O local fornece um cadeado para ser utilizado com sua corrente, sem custo, que deverá ser devolvido na saída.  Único no país especializado em arquitetura e design, o MCB conta com um jardim de mais de 6 mil metros quadrados ideal para se sentir mais próximo da natureza em meio a uma das avenidas mais movimentadas de São Paulo. Nos finais de semana a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 7 (inteira) e R$ 3,50 (meia).
Localizado na Avenida Faria Lima, o Museu da Casa Brasileira (foto) tem um bicicletário que comporta até 40 bicicletas. O local fornece um cadeado para ser utilizado com sua corrente, sem custo, que deverá ser devolvido na saída. Único no país especializado em arquitetura e design, o MCB conta com um jardim de mais de 6 mil metros quadrados ideal para se sentir mais próximo da natureza em meio a uma das avenidas mais movimentadas de São Paulo. Nos finais de semana a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 7 (inteira) e R$ 3,50 (meia).Marcelo Sarmento
Já no Museu da Imagem e do Som – MIS, localizado no Jardim Europa, o bicicletário fica no estacionamento e tem seis vagas. Para ter acesso é necessário levar corrente e cadeado.  Ao visitar o local, confira a programação completa com atividades, filmes, shows e músicas, disponível no site www.mis-sp.org.br . Entrada gratuita às terças-feiras; aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo.
Já no Museu da Imagem e do Som – MIS, localizado no Jardim Europa, o bicicletário fica no estacionamento e tem seis vagas. Para ter acesso é necessário levar corrente e cadeado. Ao visitar o local, confira a programação completa com atividades, filmes, shows e músicas, disponível no site www.mis-sp.org.br . Entrada gratuita às terças-feiras; aos sábados, acesso grátis às exposições do térreo e do acervo.Nelson Kon
foto: Debora Nazari
Na Casa das Rosas, o bicicletário com 20 vagas fica no jardim do museu, espaço ideal para relaxar. O Museu-Casa, conhecido como "casa da poesia", oferece cursos, oficinas, exposições e eventos diversos sobre poesia e literatura. Entrada gratuita todos os dias.Nelson Kon
No Museu da Imigração, localizado na Mooca, há um bicicletário gratuito com oito vagas que podem ser utilizadas pelos visitantes do espaço. É preciso levar cadeado e corrente para guardar a bike. No local ocorrem diversas atividades, oficinas e há uma exposição de longa duração chamada “Migrar: experiências, memórias e identidades”, que apresenta ao público os trabalhos de preservação e pesquisa, que refletem o processo migratório. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).
No Museu da Imigração, localizado na Mooca, há um bicicletário gratuito com oito vagas que podem ser utilizadas pelos visitantes do espaço. É preciso levar cadeado e corrente para guardar a bike. No local ocorrem diversas atividades, oficinas e há uma exposição de longa duração chamada “Migrar: experiências, memórias e identidades”, que apresenta ao público os trabalhos de preservação e pesquisa, que refletem o processo migratório. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).Nelson Kon

Na Avenida Tiradentes, o Museu de Arte Sacra conta com um bicicletário para três vagas, localizado dentro do estacionamento, com acesso pela Rua Jorge Miranda, 43. Ao visitar o espaço, não deixe de conhecer o acervo e o seu jardim interno com bancos para descanso, um delicado gramado e plantas baixas. Ótima opção de descanso para quem quer fazer um tour cultural na região, que fica próximo da  Pinacoteca, da Estação Pinacoteca, do Memorial da Resistência e da Sala São Paulo. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).
Na Avenida Tiradentes, o Museu de Arte Sacra conta com um bicicletário para três vagas, localizado dentro do estacionamento, com acesso pela Rua Jorge Miranda, 43. Ao visitar o espaço, não deixe de conhecer o acervo e o seu jardim interno com bancos para descanso, um delicado gramado e plantas baixas. Ótima opção de descanso para quem quer fazer um tour cultural na região, que fica próximo da Pinacoteca, da Estação Pinacoteca, do Memorial da Resistência e da Sala São Paulo. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).Nelson Kon
 Falando em Pinacoteca de São Paulo, o Museu também tem bicicletário gratuito com seis vagas, exclusivas para visitantes. Para ter acesso, é necessário levar cadeado e corrente. Ao visitar o espaço, não deixe de conferir o acervo e a exposição de longa duração com obras da Coleção do artista Roger Wright, sobre a vanguarda brasileira dos anos 1960, que fica em cartaz de 27 de agosto de 2016 a 26 de agosto de 2019. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).
Falando em Pinacoteca de São Paulo, o Museu também tem bicicletário gratuito com seis vagas, exclusivas para visitantes. Para ter acesso, é necessário levar cadeado e corrente. Ao visitar o espaço, não deixe de conferir o acervo e a exposição de longa duração com obras da Coleção do artista Roger Wright, sobre a vanguarda brasileira dos anos 1960, que fica em cartaz de 27 de agosto de 2016 a 26 de agosto de 2019. No sábado, a entrada é gratuita; nos outros dias, o ingresso custa R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).Nelson Kon
Para quem for visitar ou conferir a programação da Sala São Paulo, do Memorial da Resistência e da Estação Pinacoteca, há um bicicletário exclusivo e gratuito no subsolo do estacionamento localizado na Rua Mauá, 51. O local fornece um cadeado, que deve ser entregue na saída. A Estação Pinacoteca reúne 200 obras do acervo da Fundação José e Paulina Nemirovsky, composto por algumas das mais expressivas obras do modernismo brasileiro, de artistas como Lasar Segall, Candido Portinari, Di Cavalcanti, Alfredo Volpi e Victor Brecheret. No Memorial da Resistência, que ocupa o mesmo prédio da Estação Pinacoteca, a entrada é gratuita todos os dias. Lá é possível conferir a exposição de longa duração que faz uma reflexão sobre o controle, a repressão e a resistência no período da ditadura militar no Brasil. Os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia) na Estação Pinacoteca e aos sábados, a entrada é gratuita. Para conferir a programação da Sala São Paulo, que apresenta nos domingos, sempre às 11h, concertos gratuitos de Osesp e de orquestras parceiras, acesse o site www.salasaopaulo.art.br.
Para quem for visitar ou conferir a programação da Sala São Paulo, do Memorial da Resistência e da Estação Pinacoteca, há um bicicletário exclusivo e gratuito no subsolo do estacionamento localizado na Rua Mauá, 51. O local fornece um cadeado, que deve ser entregue na saída. A Estação Pinacoteca reúne 200 obras do acervo da Fundação José e Paulina Nemirovsky, composto por algumas das mais expressivas obras do modernismo brasileiro, de artistas como Lasar Segall, Candido Portinari, Di Cavalcanti, Alfredo Volpi e Victor Brecheret. No Memorial da Resistência, que ocupa o mesmo prédio da Estação Pinacoteca, a entrada é gratuita todos os dias. Lá é possível conferir a exposição de longa duração que faz uma reflexão sobre o controle, a repressão e a resistência no período da ditadura militar no Brasil. Os ingressos custam R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia) na Estação Pinacoteca e aos sábados, a entrada é gratuita. Para conferir a programação da Sala São Paulo, que apresenta nos domingos, sempre às 11h, concertos gratuitos de Osesp e de orquestras parceiras, acesse o site www.salasaopaulo.art.br.Nelson Kon
Na Biblioteca de São Paulo, que fica no Parque da Juventude (Estação Carandiru do Metrô), é possível guardar as bicicletas nas quatro vagas que o espaço oferece, assim como na Biblioteca do Parque Villa-Lobos, que tem espaço para cinco bikes. Nas duas bibliotecas é preciso levar corrente e cadeado. Ao visitar os locais aproveite e participe das oficinas, contação de histórias e outras atividades oferecidas. Informações sobre as programações nos sites www.bsp.org.br e www.bvl.org.br.
Na Biblioteca de São Paulo, que fica no Parque da Juventude (Estação Carandiru do Metrô), é possível guardar as bicicletas nas quatro vagas que o espaço oferece, assim como na Biblioteca do Parque Villa-Lobos, que tem espaço para cinco bikes. Nas duas bibliotecas é preciso levar corrente e cadeado. Ao visitar os locais aproveite e participe das oficinas, contação de histórias e outras atividades oferecidas. Informações sobre as programações nos sites www.bsp.org.br e www.bvl.org.br.Nelson Kon

Serviço:

* Local com acessibilidade para deficientes com estrutura de locomoção, informativas, de conteúdo, programação, tecnológica e a disponibilização de profissionais capacitados para inclusão de pessoas com deficiências aos espaços.

1
5 blocos incríveis para curtir o Carnaval de rua no Rio
Carnaval está aí e é chegada a hora da gente decidir quais blocos nós vamos arrasar as nossas fantasias, confetes, …
2
5 blocos incríveis para curtir o carnaval de rua de SP
O Carnaval está aí! É chegada a hora de escolher os blocos para arrasar na passarela das ruas, ostentando fantasias, …
3
BH: Jetiboca tem café incrível a R$ 3, pão de queijo e muito amor
Um dos lugares mais incríveis e inusitados no centro de Belo Horizonte, em Minas Gerais, é o Mercado Novo. Há …
4
3 trilhas no Rio com vistas de tirar o fôlego
Esse vídeo é para os amantes de ecoturismo, ou mesmo para quem quer começar a fazer trilhas e se conectar …
5
Parque da Pedra Branca no RJ: a maior floresta urbana do país
Pega um calçado confortável, passar protetor e repelente e Colaí nessa caminhada pelas trilhas do Parque da Pedra Branca, a …
6
Roteiro zen para fugir do caos de SP
Viver em SP é estar sempre ligadão no 220. Mas é legal dar uma freada no corre corre, né não?Colaí …
7
3 rolés pra curtir no Baixo Tijuca no Rio de Janeiro
A região do Baixo Tijuca tem muito o que oferecer quando o assunto é cerveja gelada!Colaí que eu tenho as …
8
Arena Digital de Curitiba: cinema e planetário no mesmo lugar
Ver as estrelas, mergulhar no fundo do mar, conhecer de pertinho todo o sistema solar. Tudo isso é possível em …