Últimas notícias:

Loading...

Dezoito países entram em campo na 2ª edição da Copa dos Refugiados

Por: Redação

Atualmente, no Brasil, cerca de 7,7 mil pessoas deixaram seus países para recomeçar a vida em um novo lugar. Perseguidos políticos, religiosos ou vítimas de conflitos armados, essa população se divide entre sírios, colombianos, angolanos, congoleses, haitianos e outras nações em situação de instabilidade social.

E a partir das 9h da manhã deste sábado, 8 de agosto, diferentes culturas, cores, credos e crenças entram em campo para a disputa da 2ª edição da Copa dos Refugiados, que acontecerá no Centro Esportivo, Recreativo e Educativo do Trabalhador (CERET). Entrada Catraca Livre.

Reprodução (Monica Saraiva)
Crédito: PicasaContinente africano será representada por 13 países na Copa dos Refugiados

Organizado para promover a integração entre diferentes povos que encontraram na capital paulista um novo refúgio, o futebol será – mais uma vez – a metáfora para driblar as barreiras do preconceito, celebrando a convivência e as histórias de vidas de quem deixou tudo para trás em busca do recomeço.

“O campeonato serve para mostrar que é refugiado não é um fugitivo. Que são trabalhadores, pessoas honestas e que só estão aqui para começar uma nova vida. Promover um debate sobre a questão do refugiado para as pessoas entenderem melhor a situação”, reflete Kennyaata, um dos organizadores do evento.

Neste fim de semana, as seleções disputam partidas eliminatórias, que definirá a final da competição marcada para o próximo sábado, dia 8 de agosto.

Kanu, Okocha, Amokachi: a tradição do futebol nigeriano nos dias atuais

Atual campeã da Copa dos Refugiados, a seleção da Nigéria levantou o caneco após vencer Camarões em um jogo equilibrado, que acabou 3 a 3 no tempo regulamentar.

Em disputa de pênaltis, os conterrâneos de Kanu, Okocha e Amokachi (campeões olímpicos em 1996) confirmaram a tradição do futebol nigeriano e assim tornaram-se os primeiros campeões da competição.

Confira a tabela da 2ª edição da Copa dos Refugiados 

9h Haiti x Iraque

9h40 Nigéria x Burkina Faso

10h20 Guiné Bissau x Gana

11h Angola x Costa do Marfim

11h40 Afeganistão x Síria

13h Togo x Camarões

13h40 R. D. Congo x Mali

14h20 Guiné Conacri x Gâmbia

15h Serra Leoa x Paquistão

Créditos: Mônica Saraiva 

Compartilhe: