Orquidário Ruth Cardoso, um lugar onde é primavera o ano inteiro

Um passeio que todo apaixonado por flores e botânica deveria fazer

Por: Redação
TERçA QUARTA QUINTA SEXTA SáBADO DOMINGO
9h30 às 18h30

“Por que / É primavera / Te amo!”. Existe um lugar em São Paulo onde é primavera o ano inteiro e que todo apaixonado por flores e botânica deveria visitar: o Orquidário Ruth Cardoso, no Parque Villa-Lobos.

Aberto de terça a domingo e em feriados, das 9h30 às 18h30, o orquidário tem entrada Catraca Livre e conta mais de 16 mil vasos de orquídeas híbridas e nativas coletadas em todo o estado e que foram doadas pelo Instituto de Botânica de São Paulo.

Para ajudar os visitantes a entenderem mais sobre as espécies de orquídeas, o espaço conta com uma série de quadros informativos explicando as diferenças entre cada grupo de plantas, que são expostas de acordo com sua classificação e característica.

O Orquidário Ruth Cardoso tem arquitetura sustentável que privilegia a iluminação natural
O Orquidário Ruth Cardoso tem arquitetura sustentável que privilegia a iluminação natural Allan Hipólito | Catraca Livre
O Orquidário Ruth Cardoso tem arquitetura sustentável que privilegia a iluminação natural
O Orquidário Ruth Cardoso tem arquitetura sustentável que privilegia a iluminação natural Allan Hipólito | Catraca Livre
O Orquidário Ruth Cardoso tem arquitetura sustentável que privilegia a iluminação natural
O Orquidário Ruth Cardoso tem arquitetura sustentável que privilegia a iluminação natural Allan Hipólito | Catraca Livre

O local também oferece uma série de workshops de cultivo das flores e também de outras plantas. Para saber quando ocorre essas atividades basta ficar ligado na programação no site do Parque Villa-Lobos.

Arquitetura sustentável

Inaugurada em 2010, a estufa em forma de cúpula projetada pelo arquiteto Décio Tozzi foi batizada em homenagem a antropóloga e ex-primeira dama Ruth Cardoso, responsável por uma série de estudos sobre os índios brasileiros, tribos africanas e até grupos pré-colombianos.

Décio se baseou na estrutura de uma oca para projetar a estufa, que assim como nas construções dos povos estudados pela professora, tem no uso da luz natural uma de suas principais características.

Outro detalhe da estrutura que segue por esse caminho sustentável são os dois espelho d´água, um na parte externa e outro na parte interna da estrutura. Além de proporcionarem beleza ao orquidário, eles também ajudam a regular naturalmente a umidade da estufa tornando o ambiente o mais indicado possível para o cultivo das plantas.

1
Pista Cláudio Coutinho: natureza fora da mesmice no RJ
Ideal para caminhadas, a Pista Claudio Coutinho te leva para um passeio cercado de natureza: de um lado o mar …
2
As melhores sorveterias para refrescar o calor de Salvador
Calor, sol escaldante, praia… em Salvador é verão o ano todo, minha gente! E pra refrescar esse calorão todo, bora …
3
Rapel na Ponte do Sumaré em SP: vai encarar?
Já pensou em pular da ponte com os amiguinhos? Sim? Colaí, que hoje vamos saltar da Ponte do Sumaré!
4
Almoço perfeito em BH no Mercado Novo
Que a comida mineira é uma delícia, todo mundo já sabe, mas almoço perfeito mesmo, é no Mercado Novo de …
5
Bar da Laje: a melhor vista do Rio de Janeiro
Colaí que hoje o passeio é lá no alto! Vamos subir o Morro do Vidigal para conferir tudo sobre o …
6
Ópera do Arame: símbolo emblemático de Curitiba
Entre lagos, vegetação típica e cascatas, numa paisagem singular, está a Ópera do Arame. Colaí que eu vou te contar porque …
7
Cisne Branco: Espaço cultural flutuante em Porto Alegre
Verdadeiro ícone de Porto Alegre, o barco Cisne Branco é referência quando se fala de rolê flutuante! Colaí pra navegar nessas …
8
As obras de Niemeyer espalhadas por BH
Você sabia que há várias obras de Niemeyer espalhadas por BH? Colaí que eu vou mostrar pra você!