98% dos suspeitos de abuso sexual no metrô em 2016 não são presos

Por: Catraca Livre

Eles foram classificados como importunação ofensiva ao pudor, contravenção penal com pena prevista pela lei de multa, em caso de condenação.

Foto: Lena Diaz/Fotos Públicas (11/12/2014)
Passageiros ocupam plataforma da estação Sé do metrô, na região central de São Paulo

Na prática, mesmo quando levados à delegacia, suspeitos desse delito não ficam presos nem respondem a um processo criminal convencional por falta de previsão legal.

O outro caso foi registrado como violação sexual mediante fraude. Nenhum estupro foi contabilizado no período.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo Fiquem Sabendo com base em dados da Delpom (Delegacia de Polícia do Metropolitano), da Polícia Civil, obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527 (Lei de Acesso à Informação).

Veja aqui a íntegra da reportagem.

Compartilhe: