Confira roteiro para Machu Picchu que custa menos de R$ 1.500

Por: Redação

Machu Picchu, no Peru, é quase que destino certo para quem começa a mochilar. Além de belas paisagens, o Peru é um país barato, o que torna possível o sonho de conhecer a cidade inca para a maioria dos viajantes.

O sítio arqueológico, por ser o mais famoso passeio da região, é o que há de mais caro para quem vai ao país, mas, ainda assim, um roteiro para lá pode ser feito por menos de R$ 1.500. A cotação do dólar utilizada é de R$ 2,30.

Passagem

A melhor época para conhecer Machu Picchu vai de maio a setembro, período em que há menos chuva. Para a primeira semana de setembro, a passagem custa US$ 246 (R$ 815), após a conversão e o pagamento das taxas de embarque.

Hospedagem

Há os mais diversos preços, mas três grandes redes de hostels (Che Lagarto, Loki e Pirwa) cobram de US$ 10 a US$ 13 a noite em um quarto compartilhado. Considerando sete noites, seriam cerca de R$ 160 no total.

Alimentação

A refeição básica (combinado de salada, arroz, sopa e frango) custa entre US$ 2 e US$ 4. Se optar pelo McDonald’s local, há combos por R$ 12. Considerando um gasto de R$ 20 por dia (duas refeições mais petiscos ao longo do dia), seriam R$ 140 em sete dias.

Transporte

O meio mais rápido e comum para quem não tem tempo é ir para Águas Calientes,  cidade que fica aos pés da montanha de Machu Picchu, de trem. A má notícia é que há um monopólio da Peru Rail. O ticket mais barato de ida para a primeira semana de setembro custa US$ 73 a ida e US$ 50 a volta.

Quem quer economizar paga o passeio do Vale Sagrado (cerca de 50 soles ou R$ 40) e desembarca em Ollantaytambo, a penúltima parada do tour. De lá, se pega o trem para Águas Calientes a US$ 52 (a volta para Cusco também sai por US$ 50). Consideramos que o mochileiro pegou o trem direto, pagando US$ 123 no total.

Ticket para Machu Picchu

Prepare-se para o susto. Atualmente o ingresso custa US$ 62 para adultos e US$ 37 para estudantes. Se quiser ir também a Huayna Picchu –montanha de onde há as fotos mais famosas das ruínas–, o bilhete sai por US$ 71 o adulto e US$ 42 o estudante.

Vamos considerar que o mochileiro possua o cartão de estudante, válido também para faculdades do Brasil, já que a maioria da demanda de Machu Picchu é ocupada por este público, e que vá visitar o parque de Huayna Picchu, pagando, portanto, US$ 42.

A soma dá R$ 1.494,50 para uma semana. A boa notícia é que Machu Picchu é um dos passeios mais caros do Peru. Quem vai para lá geralmente passa, no mínimo, 15 dias no país, justamente porque o maior gasto, a passagem, é pago uma vez só.

Se for conhecer outros locais como a Lagoa Huacachina ou as ilhas flutuantes do Lago Titicaca, adicione mais R$ 500. Há também sítios arqueológicos menos conhecidos e mais baratos que Machu Picchu.

Por Wanderluster