Últimas notícias:

Loading...

Um guia para viajar de low cost

Por: Catraca Livre

Muito provavelmente você já ouviu falar de empresas aéreas low cost, low budget, no frills ou, no bom português, de baixo custo.

Essas são empresas aéreas que surgiram nos anos 70 com o intuito de oferecer viagens a preços baixos, porém com menos conforto. Para manterem passagens mais baratas, elas podem cobrar por serviços extras a fim de manterem o lucro, tais como comida, embarque prioritário, poltrona marcada, bagagem despachada, etc.

Atualmente, a maior empresa low cost do mundo é a Southwest Airlines, que opera nos Estados Unidos e arredores. Na Europa, há cerca de 60 empresas em franco funcionamento, fazendo todas as rotas possíveis, tais mo Ryanair, Easyjet, Wizz Air, ente outras, sendo as duas primeiras as maiores e mais importantes do continente.

Como encontrá-las:

As companhias aéreas de baixo custo são em sua maioria totalmente online e podem ser encontradas em seus websites pessoais ou grandes motores de busca de passagens aéreas como os descritos abaixo:

Aviões, espaço e conforto

A maioria das empresas de baixo custo opera com classe única de passageiros (sem classe executiva, business, etc.). No passado, elas operavam com aviões antigos e de segunda mão para manter o padrão econômico, mas desde 2000, a frota de aeronaves tem sido renovada, com unidades com custo-benefício cada vez maior no consumo de combustível e manutenção. 

A maioria opera aeronaves Airbus A-320, Boeing 737 e o Bombardier Q400.

Ainda, as aeronaves geralmente voam com o mínimo de equipamento possível a fim de economizar com manutenção, limpeza, tornar o avião mais leve (para aumentar rendimento de combustível), entre outros. Aviões da Ryanair, por exemplo, não tem poltronas reclináveis e bolsos na parte traseira das poltronas (para colocar revistas). Outras, não possuem persianas nas janelas, opções de entretenimento, como rádio ou televisão.

Ainda, é política das empresas ficarem o menor tempo possível com as aeronaves estacionadas nos pátios dos aeroportos, por que isso significa gasto com taxa aeroportuária. Em outras palavras, prepare-se para fazer o embarque mais rápido da sua vida. É possível que você se sinta em um ônibus lotação da sua cidade.

Aeroportos

Muito provavelmente você está acostumado a voar para os principais aerportos europeus, como o Schiphol em Amsterdam ou o Rhein-Main em Frankfurt. Mas certamente você voou por companhias aéreas mais tradicionais e caras como a KML ou Lufthansa.

No entanto, ao optar por uma empresa de baixo custo, você deve se lembrar que essas empresas aéreas voam para aeroportos periféricos, geralmente muito distantes do centro da cidade, o que vai exigir que você gaste mais dinheiro e tempo para se deslocar deles ao seu destino final. 

As taxas aeroportuárias em aeroportos menos comerciais são mais baixas, o que é condição principal para as empresas comercializarem passagens a preços mais baixos.

Como exemplo, a empresa Ryanair voa para a cidade de Charleroi, na Bélgica, que fica a cerca de quarenta minutos da capial Bruxelas. Em geral, passagens mais baratas de Dublin a Charleroi custam ¢20,00. Ainda, o traslado de Charlroi a Bruxelas pode chegar custar outros ¢ 14, totalizando ¢ 34 para se chegar ao destino final, que é a capital.

No entanto, a empresa Aer Lingus, que não é uma empresa tão barata quanto a Ryanair, voa para Bruxelas a preços em torno de ¢40,00 a ¢50,00, dependendo da época da compra. Comparando as duas opções, é perceptível que viajar diretamente para Bruxelas pode ser menos oneroso e mais prático para o viajante.

Outro exemplo de que vale a pena pensar bem antes de comprar uma passagem aérea em empresa de baixo custo é voar para o aeroporto Frankfurt-Hahn, que leva o nome de Frankfurt, mas fica a 120km da cidade, oferecendo apenas um ônibus transfer como opção para ir ao centro da cidade (com poucas opções de horário), além de taxi. Ou seja, sua economia na passagem pode se tornar uma grande despesa para chegar ao seu destino final.

Se no ato da sua pesquisa, a economia em viajar para o interior for pequena, às vezes é mais prático pagar um pouco mais e eliminar gastos com transporte, fora a dependência de horários de ônibus e demais transportes. 

Passagens

As empresas aéreas geralmente oferecem a opção de passagens com trecho único, em vez de ida e volta conjugada e, suas tarifas aumentam conforme a capacidade da aeronave vai diminuindo. Em outras palavras, comprar passagens com antecedência aumenta suas chances de comprá-las baratas.

Ainda, segundo estatísticas do Skeyscanner, há 7 formas de comprar passagens baratas, como você lerá aseguir:

1 – Compre as passagens com 6 semanas de antecedência à viagem;

2 – Cadastre-se nos sites das companhias aéreas de sua preferência para receber e-mails promocionais (as promoções sempre chegam por e-mail antes de serem divulgadas nos websites);

3 – Se você não tiver restrições para destinos, simplesmente deixe o buscador procurar por quaisquer lugares e você sempre encontrará passagens baratas para algum canto que nunca imaginou viajar. 

4 – Escolhe seu cartão de crédito com cautela na hora de pagar pelas passagens. Aproveite os benefícios que as operadores oferecem, como milhas de viagens. 

5 – Compre passagens às terças-feiras à tarde. Há várias teorias para explicar a razão das passagens serem mais baratas neste horário, mas o fato é que funciona.

6 – Compre passagens de ida e volta separadas, pois elas acabam sendo mais baratas do que comprar ida e volta juntas. 

7 – Tente a regra das 24 horas. Algumas empresas o darão de volta todo o dinheiro pago por uma passagem se você cancelar sua viagem até 24h antes do voo. Faça isso caso encontre de última hora um voo mais barato. 

Bagagens

Empresas de baixo custo geralmente comercializam passagens a preços módicos e obtem seu lucro através da venda de produtos agregados, como seguros, transfers, bagagem, entre outros.

De forma geral, elas não dão ao passageiro franquia de bagagem despachada incluída no preço da passagem, apenas a bagagem de cabine, que pode variar de 6 a 10 ou 15kg, dependendo da empresa, além de ainda ter limitações de tamanho da mala/mochila/bolsa.

Então, vamos supor que você pague ¢20,00 por aquele voo que citei acima, mas precisa despachar malas, pois passará um tempo maior em Bruxelas ou ainda irá para algum outro lugar de lá. A Ryanair dá ao passageiro o direito de despachar até duas malas, cobrando tarifas diferentes para bagagens de até 15kg e de até 20kg, variando de ¢15,00 a ¢45,00, dependendo da estação e da rota. Ainda, a empresa cobra ¢10,00 por quilo extra. 

Ou seja, uma passagem que custaria ¢20,00 passa a custar até ¢100,00 ou mais se você tiver que despachar bagagem, enquanto por outra empresa, você pode conseguir passagens direto para a capital, com franquias de bagagem despachada e que saem pelo mesmo preço ou mais barato que a empresa de baixo custo.

Ademais, mesmo que você faça dois voos seguidos pelo mesmo empresa, não é pratica delas transferir sua bagagem despachada de uma aeronave para a outra, pois isso gera custo para a empresa. Logo, você precisa fazer o desembarque, despachar novamente a bagagem e embarcar novamente para o voo seguinte.

Por via de regra, o consenso entre os viajantes de empresas de baixo custo é de se viajar com o mínimo de volume possível, de forma a não precisar despachar bagagens e usufruir somente da franquia de cabine, tornando sua viagem de fato de baixo custo.

Check-in e cartão de embarque

Nunca deixe de fazer o check-in online e de imprimir seu cartão de embarque com antecedência!

A maioria das empresas aéreas geralmente deixa o check-in aberto até 4 horas antes do voo e anda dão algum tempo extra para que você imprima o cartão de embarque. Caso não o faça, deixando a cargo da companhia imaediatamente antes do embarque, você será cobrado pelo serviço, o que significa mais gastos.

Na Ryanair, por exemplo, uma vez feito o check-in online, você tem até 2h antes do voo para imprimir o cartão de embarque. Mas, se você optar por realizar o check-in no aeroporto (junto à companhia aérea), será cobrado ¢70,00 pelo serviço, e, se optar por apenas solicitar que a companhia imprima o cartão de embarque para você, ¢15,00 a mais serão cobrados de você.

Outras fontes de lucro

A maioria das empresas mantem um comércio aéreo livre de impostos (duty free), em que vendem perfumes e relógios, entre outros produtos. 

Ainda, elas oferecem um cardápio simples, mas variado de lanches e pequenas refeições que você pode adquirir sob algum custo, que pode ser analisado de antemão no cardápio que os comissários geralmente entregam quando você entra na aeronave.

Cobertores, travesseiros, jogos da loteria e raspadinhas são produtos também comercializados dentro da aeronave.

Dormir nem sempre será possível, pois a todo instante terá um comissário de bordo passando pelo corredor tentando vender algo aos passageiros.

Quadro de funcionários reduzido

Como as empresas se propõem a ser de baixo custo, em muitos casos, os funcionários atuam em diversas funções. Em algumas companhias, eles são responsáveis pelo balcão de check-in e despacho de bagagens, além de atuarem no portão de embarque, como comissários de bordo e na limpeza da aeronave.

Leia mais:

1 – Pesquisa Skyscanner para comprar voos baratos;

2 – Como encontrar um voo barato;

Compartilhe: