Publicidade

Uma noite no deserto da Jordânia

Por: Redação | Comunicar erro
...
Publicidade

O grandioso mosteiro de Jabal al Deir ou o Grande Templo, em Petra[/img]

Os beduínos são árabes nômades que vivem nos desertos do Oriente Médio e do norte da África, desde a antiguidade. Em Wadi Rum existem diferentes opções de acampamentos beduínos para se hospedar. É claro que os acampamentos são turísticos, mas são genuinamente mantidos pelos beduínos, que encontraram no turismo uma forma de sustento.

Chegamos à Wadi Rum num dia de novembro pela manhã, vindos de Petra. Foram duas horas de viagem de carro (é possível alugar carro mas também é muito barato viajar de taxi por lá). No acampamento, que não lembra em nada os campings ocidentais, fomos muito bem recebidos. Durante o dia, a alta temperatura tornava impossível ficar muito tempo no interior das tendas. Com o anoitecer, a temperatura baixou rapidamente deixando as tendas frescas para uma boa noite de sono. A área comum do acampamento era excelente, sem contar que passeios para fazer por ali não faltam.

Existem vários tipos de acampamentos, alguns com tendas simples e banheiro compartilhado e outros que oferecem mais conforto. Ficamos no SunCity camp, um acampamento bem confortável que possui banheiro dentro das tendas e ótimas refeições. No jantar, foi servido um dos pratos que mais gostei de comer nesta viagem, dessa vez preparado pelos simpáticos beduínos que nos receberam. O prato se chama Upside Down ou Maklubah, um arroz com frango e vegetais temperados com cúrcuma, tomilho, páprica e canela.

A energia vinha de um gerador que funcionava somente por 3 horas diárias, ao anoitecer. O suficiente para recarregar as baterias dos aparelhos eletrônicos e tomar um banho. A noite fresca no deserto era tão silenciosa quanto estrelada. Há muito tempo eu não observava um céu daqueles.

No próprio acampamento, contratamos um passeio de jipe pelo deserto. No trajeto conhecemos beduínos que vivem ali com seus camelos e vimos paisagens sensacionais. Éramos os únicos hóspedes daquele acampamento e durante os passeios que fizemos, além dos poucos habitantes locais, cruzamos somente com mais um viajante, um francês.

Apenas 24 horas foram suficientes para conhecer a hospitalidade beduína, provar pratos deliciosos e passear por lugares incríveis. No dia seguinte, seguimos para Aqaba, cidade ao sul da Jordânia banhada pelo Mar Vermelho, que faz divisa com Israel, além de estar a pouquíssimos quilômetros do Egito.

Informações úteis sobre esta viagem: Levar filtro solar fator alto e hidratante para aguentar o clima extremamente quente e seco. | Valor da estadia no acampamento em quarto duplo com banheiro privativo, inclui jantar e café da manhã: 45JD por pessoa | Taxi de Petra para Wadi Rum: 120km, 2 horas de viagem, 35JD | Taxi de Wadi Rum para Aqaba: 70KM, 1 hora, 25JD | Passeio de jipe pelo deserto por 3 horas, para 4 pessoas: 35JD. | O câmbio na época (Novembro de 2013) era de 1JD = R$3.30

Para ver esse post completo e muitos outros acesse www.viageria.com

Para saber mais sobre a viagem à Jordania, veja este post.

Compartilhe:

Publicidade
Publicidade

Museu de Anatomia Humana da USP exibe peças que ensina como o seu corpo funciona

Cereja Flor: O lugar das taças de sorvetes gigantes em São Paulo

Fondue taiwanês é a próxima delícia que você tem de provar

Médica tira dúvidas sobre anticoncepcional

Refugiados se tornaram microempreendedores em um lava-rápido em São Paulo

Publicidade