Reciclagem de tampinhas plásticas banca castração de pets sem lar

Projeto criado em Santa Catarina beneficia também famílias que não têm recursos para bancar os custos da cirurgia

Por: Redação

O que tampinhas plásticas têm a ver com animaizinhos de estimação? Calma, nenhum gato ou cachorro engoliu uma delas.

Um projeto de Santa Catarina banca a castração de animais abandonados, ou de famílias com poucos recursos financeiros, por meio da reciclagem das tampinhas.

O projeto Ecopet utiliza a reciclagem de tampinhas plásticas para financiar a castração de cães e gatos
Crédito: Reprodução/Facebook/@ecopettampastampinhasO projeto Ecopet utiliza a reciclagem de tampinhas plásticas para financiar a castração de cães e gatos

Trata-se do projeto Ecopet, idealizado por Natália de Carvalho Nadi. Ele conta com voluntários nas cidades catarinenses de Florianópolis, Palhoça, São José e Biguaçu.

As tampinhas plásticas são enviadas para 438 pontos de coleta, nas cidades de Florianópolis, São José, Biguaçu, Palhoça e Santo Amaro.

Nesses locais, são separadas e destinadas para a reciclagem. O dinheiro arrecadado com a venda é o que financia as castrações de cães e gatos, realizadas em três clínicas.

O procedimento, em geral, aumenta a longevidade desses animais.

Clique aqui e conheça o projeto As Melhores Soluções Sustentáveis.

O dinheiro arrecadado com a venda das tampinhas plásticas para reciclagem é que paga as castrações
Crédito: Reprodução/Facebook/@ecopettampastampinhasO dinheiro arrecadado com a venda das tampinhas plásticas para reciclagem é que paga as castrações

O Ecopet tem uma lista de espera de solicitações de castração. Os valores são combinados entre o solicitante e a própria clínica. A operação deve ser feita em cinco dias úteis após o acordo.

Segundo Natália, a castração de um cachorro de 15 kg requer 120 kg de tampinhas coletadas. Elas são feitas de polipropileno, tipo de plástico que possui maior valor agregado.

Leia também: Urna ecológica usa cinzas para alimentar crescimento de árvore

Curadoria: engenheiro Bernardo Gradin, presidente da GranBio e especialista em soluções sustentáveis.

Compartilhe: