Estéreo MIS de maio traz show da cantora Labaq

Por: Redação Comunicar erro

Na sexta-feira, 10 de maio, o MIS – instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo – recebe o show da cantora Labaq às 21h. A apresentação acontece dentro do projeto mensal do Museu dedicado à música independente, o Estéreo MIS.

Crédito: DivulgaçãoLabaq é compositora, guitarrista, cantora e produtora musical. Ela apresenta as músicas de seu mais novo álbum, Lux, no dia 10. Os ingressos podem ser adquiridos a partir do dia 3.5, às 12h, no site da Ingresso Rápido e na recepção do Museu.

Em parceria com o VilaMundo, o museu oferece 2 pares de ingressos VIPs para os primeiros que escreverem para o e-mail: chavevilamundo@gmail.com com o assunto: LABAQ NO MIS. Espere a confirmação da produção.

Um dos nomes mais proeminentes quando se fala da atual música pop alternativa no Brasil, a paulista apresenta seu novo álbum, “Lux” (Voa Music, 2019), em que leva sua noção da canção pop a territórios como a indietronica, a música pop alternativa e um pop avant garde que se permite ser experimental sem amarras.

Em tour pelo circuito da música independente de países da Europa e America do Sul, a artista vem de um 2018 com mais de 80 shows feitos em festivais, teatros e salas de 9 países – como Polônia, Rússia, Chile, Argentina, Espanha, Suécia e outros. Tendo seu trabalho bem recebido por público e crítica, foi show de abertura de bandas como Baiana System (BR), Morcheeba (UK) e Maria Gadu (BR).

A apresentação acontece às 21h no Auditório MIS (172 lugares). Os ingressos, de R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia), podem adquiridos a partir do dia 3.5, às 12h, no site da Ingresso Rápido e na recepção do Museu.

Sobre a artista

Labaq é francana e iniciou-se na música aos 12 anos. Autodidata, estudou violão e guitarra, vindo a seguir a estudar trompete com Fausto Henrique (Projeto Guri, Franca/SP) e percussão com Dinho Goncalves (Souza Lima, São Paulo/SP). Como produtora cultural, criou em 2016 o Festival Sonora – Ciclo Internacional de Compositoras. Hoje está à frente da curadoria do Festival Infinita e do Projeto Nuas, ambas iniciativas para exaltar a mulher na música.