Dicas de como fazer um currículo perfeito para buscar emprego

Você sabia que em média os recrutadores fazem uma leitura prévia de um currículo em menos de 30 segundos?

Por: Redação | Comunicar erro

Se você está em busca de uma colocação profissional o primeiro passo é ter um currículo bem elaborado. Impresso ou online, ele continua sendo a principal ferramenta para procurar uma vaga de emprego. Por isso, é importante que você saiba como fazer um currículo que atraia a atenção dos recrutadores, com isso seja chamado para uma entrevista e dê um passo à frente para conquistar a vaga dos sonhos.

Você já deve ter ficado em dúvida sobre o que inserir no seu currículo. Quem não tem experiência profissional pode até pensar que não vale a pena fazer um, afinal, não tem o que colocar. Na contramão, quem tem anos de experiência no mercado, fica em dúvida sobre como colocar tanta vivência profissional em poucas páginas.

O fato é que, não existe uma fórmula mágica para construção de um currículo perfeito. Porém com algumas dicas, ferramentas e estratégias, você consegue construir um currículo assertivo que chame a atenção, de um modo positivo, do recrutador. Em média ele leva menos de 30 segundos para fazer uma triagem. Afinal são tantos currículos que chegam que só dá tempo de “bater o olho”, ver se o objetivo profissional é compatível com a vaga e separá-lo dos demais para uma leitura com mais calma depois. Por isso elaboramos um passo a passo que vai te ajudar nesta tarefa. Confira:

Como fazer um bom currículo

O currículo é seu cartão de visitas, então em linhas gerais é importante:

  • Montar um layout organizado.
  • Fazer um texto conciso e assertivo.
  • Dividir todo conteúdo em blocos pequenos.
  • Revisar o texto inteiro. Nem pense em cometer algum erro de ortografia ou gramática.
como fazer um currículo perfeito
Crédito: iStockTer um currículo bem elaborado é imprescindível para quem busca um emprego

O que colocar no currículo

Alguns dados são fundamentais para qualquer currículo, independente se você tem experiência profissional ou não.  Milie Haji, Gerente de Projetos R&S do Grupo Cia de Talentos que comenta: ” O currículo é a primeira impressão que um recrutador terá de você”. Confira as dicas:

  • Dados pessoais atualizados: Nome completo, data de nascimento (se colocar a idade, não pode esquecer de atualizar ano após ano), cidade onde mora, e-mail e telefones de contato (principalmente celular). Se for deixar telefone de recado, não esqueça de avisar ao parente ou amigo. Já pensou se seu currículo é escolhido, o recrutador liga e ouve de quem atende: “Ah! Ele é assim mesmo, sempre esquece o celular!”. Nessa situação, vamos combinar, candidato sendo eliminado em 3,2,1.
  • Objetivo Profissional: Este é o campo mais importante do seu currículo e por quê? É onde o recrutador bate o olho e descobre se está com o currículo certo em mãos ou ainda ou se ainda poderá direcioná-lo para outras áreas ou pessoas, se for o caso. Escrever só: Marketing não ajuda! Precisa estar claro se é Estagiário, Analista, Gerente, Diretor de Marketing, por exemplo.
  • Formação Acadêmica: Coloque sempre do curso mais atual para o mais antigo. Se você fez cinco faculdades também não precisa colocar todas. Apenas as duas mais recentes já é o são suficiente.
  • Experiências Profissionais: Assim como no campo “Formação Acadêmica” coloque da mais recente para mais antiga e não precisa colocar todas. Já imaginou um profissional com 20 anos de experiência em empresas diversas descrever tudo isso? Vai deixar de ser um currículo e se tornar um livro. Além disso, é fundamental colocar datas, cargo, responsabilidades e o mais importante: resultados! Os dados e fatos vão mostrar quem você é, as conquistas que obteve, as metas que atingiu. Se tiver dados numéricos, coloque. Exemplo: responsável por uma equipe de X funcionários; Participou do projeto X e conseguiu um X% de aumento do número de clientes.
  • Número de páginas: Se você for um profissional com menos de 5 anos de experiência, uma página é mais do que suficiente. Já para quem tem mais anos de experiência, é importante selecionar as informações mais relevantes e procurar inserir em duas páginas. Afinal vamos deixar a sua história completa para uma entrevista, não é mesmo? Será um momento mais oportuno.

Dicas para quem não tem muita experiência profissional

Quando se tem pouca ou nenhuma experiência profissional, algumas informações tornam-se relevantes e podem ser seu grande diferencial em relação a outro candidato. Sendo assim,coloque no lugar de “experiência profissional” atividades como:

  • Trabalho voluntário: É uma experiência bastante valorizada pelas empresas.
  • Cursos: Mostrarão que você é uma pessoa que busca sempre aprender e melhorar.
  • Atividades em grupo: Vale sua atuação no Centro Acadêmico, na Atlética, em Bandas Musicais, ou até mesmo sua experiência como atleta.
  • Trabalho de Conclusão de Curso: Vale sim, incluir o famoso TCC. Afinal ele fez parte de seu desenvolvimento e formação profissional. Comente sobre o tema desenvolvido, os desafios e o resultado final.
  • Projeto extra: Se por acaso, você escreveu um livro, tem um canal no YouTube, um blog ou algo assim, vale inserir no currículo, colocando inclusive a URL. Isso valoriza o candidato e pode ser um grande diferencial.

A disposição desses elementos no seu currículo vai depender do seu momento profissional. Mais adiante oferecemos modelos de currículos conforme a vivência profissional de cada um.

como fazer um currículo perfeito
Crédito: iStockOs recrutadores levam em média menos de 30 segundos para fazer a primeira leitura de um currículo

O que evitar no currículo

Neste infográfico da AkkenCloud você pode visualizar o que fazer e o que evitar no currículo. De um modo geral, para evitar uma gafe que elimine seu currículo logo no primeiro segundo evite:

  • Colocar uma foto: Por mais lindo que você seja, nem pense em fazer isso, currículo não é perfil de rede social.
  • Mentir: Lembra do ditado “mentira tem perna curta”? Pois é, ele é muito válido para o seu currículo. Nunca minta. Já imaginou se você não tem fluência em inglês e coloca no seu currículo que fala fluentemente para dar aquela valorizada. Aí você é chamado para entrevista e nela o entrevistador faz perguntas no idioma que você não tem nem ideia de como responder. Vai ficar muito chato, não é mesmo?
  • Usar um e-mail não profissional: Vamos combinar que fica difícil o recrutador levar a sério um candidato que tenha um e-mail como sodebaladas@email.com ou gatinha2013@email.com .
  • Informar os documentos: Número do RG, CPF, carteira de trabalho, título de eleitor não precisam constar no seu currículo.
  • Incluir detalhes pessoais: Escrever sobre sua aparência, parentesco ou outras informações de sua vida pessoal, não são relevantes no momento em que você está pleiteando uma vaga de emprego.
  • Histórico salarial: Não é necessário que você coloque o seu último salário e tampouco suas últimas remunerações. Só no dia da entrevista você conversa sobre isso com o recrutador, caso ele pergunte.
  • Não colocar objetivo: Você já ouviu a frase de Lewis Carroll: “Se você não sabe onde quer ir, qualquer caminho serve”? É importante que você coloque o cargo e a área em que deseja atuar. Com algumas recomendações importantes: Nada de bajular a empresa com adjetivos superlativos. Um exemplo: “pretendo atuar na magnífica área de vendas dessa extraordinária empresa”. Seja direto, tudo bem?  Outra coisa, seu objetivo precisa estar alinhado com sua experiência profissional ou formação. Nada de usá-lo como um trampolim hierárquico. Não há nenhum problema de você sempre atuar como estoquista e querer ser o CEO da empresa, mas tenha isso como sua meta, que não precisa ser colocada no objetivo do currículo, ok?
  • Não incluir datas de inicio e término: Estas informações são muito importantes para que o recrutador tenha uma ideia do seu tempo de permanência numa empresa. Procure sempre colocá-las.
  • Colocar uma avalanche de cursos: Quem não tem experiência profissional pode e deve inserir os cursos que fez. Mas isso não quer dizer que você vai colocar os 200 cursos que fez no último ano, desde o corte e costura até as aulas de origami. Seja sucinto, coloque apenas os cursos mais relevantes, informando o nome do curso, a instituição, o mês e ano de conclusão.
  • Usar fontes extravagantes: Lembre-se é um currículo e não o folder de uma festa incrível. Use fontes que sejam agradáveis à leitura. O que precisa chamar a atenção é sua competência e experiência e não a fonte do currículo, certo?
  • Incluir planilhas: Tudo bem se você passou por vinte empresas em dez países diferentes, mas currículo não é um trabalho de escola. Veja a melhor forma de organizar todas as informações de maneira assertiva, mas nem pense em incluir uma planilha.
  • Assinar: Não dê um “autógrafo” no seu currículo. Assiná-lo é totalmente dispensável.
  • Não revisar seu currículo: Revise seu currículo e peça para que alguém leia também. Cometer erros gramaticais ou de ortografia podem ser imperdoáveis. Afinal mostrará que, além de você não ter domínio da sua língua nativa, ainda é descuidado, pois não revisou seu currículo. A desculpa do “erro de digitação” não cola faz tempo.
Crédito: iStockAlguns termos valorizam seu currículo em contrapartida outros simplesmente o depreciam

Quais as melhores palavras

Talvez você ainda não saiba, mas existem algumas palavras que chamam mais a atenção do recrutador. Na hora de falar de suas habilidades, experiência e desempenho prefira palavras fortes que exemplifiquem suas realizações profissionais.

Para facilitar sua vida, o site de recrutamento Career Builder fez uma pesquisa com mais de 2,2 mil headhunters, que aponta quais os termos mais indicados para usar no seu currículo perfeito e também quais as palavras que você deve evitar usar. Confira:

Crédito: divulgaçãoPesquisa do Career Builder revela os termos mais indicados para usar no currículo

Quais as piores palavras

Você pode achar que está arrasando com alguns termos, mas pelo contrário só está perdendo pontos. Clichês, como “sinergia” e “pensar fora da caixa” não são bem vistos. Dizer que você é o “melhor da raça”, nem pensar. Esqueça também fazer autoelogios ou dizer que você é “lutador” ou “referência em determinado assunto”. Além disso, as palavras abaixo também devem ficar de fora do seu currículo perfeito.

Crédito: divulgaçãoPesquisa do Career Builder revela os piores termos para usar no currículo

Escolha um modelo de currículo ideal para seu momento profissional

Agora você já sabe o que inserir no seu currículo, o que não fazer de jeito nenhum e até mesmo as melhores e as piores palavras. Chegou então a hora de escolher um modelo adequado de currículo que valorize suas competências de acordo com seu momento profissional. Confira:

  • Currículo para primeiro emprego ou profissionais em início de carreira

Estas duas opções:  Modelo 1  e Modelo 2  são perfeitos para quem está dando os primeiros passos no mercado de trabalho. Se você tem pouca ou nenhuma experiência profissional o ideal é valorizar cursos que você fez, trabalhos voluntários, palestras e outras atividades.

  • Estagiário

Para você que quer ingressar na sua área, temos este Modelo 3 Modelo 4 que dão destaque à formação acadêmica. Além disso, valorizam cursos de idiomas e atividades extracurriculares, tais como seminários e workshops.

  • Trainee

Para esta posição profissional é relevante valorizar suas habilidades e especialização, caso você tenha. Por isso recomendamos este Modelo 5 Modelo 6. 

  • Analistas

Para este cargo é importante valorizar as experiências técnicas que você teve em empregos anteriores. Sendo assim o ideal é usar este Modelo 7  de currículo.

  • Para quem está se especializando

Para te ajudar a conquistar a vaga desejada atualmente é ideal mostrar em que fase da carreira você está. Além disso, o quanto já conquistou até aqui e todas as posições que você já ocupou. Para isso recomendamos este Modelo 8.

  • Está procurando um novo emprego? Cadastre-se aqui e fique por dentro das melhores dicas do Catraca Livre.

Compartilhe: