Últimas notícias:
Loading...

‘Acho que o filho da minha amiga é autista. Como falar com ela?’

A mente humana não é um lugar super lógico e consistente. A maioria das pessoas, se tiverem a opção de encarar uma verdade horrenda ou aterradora, ou convenientemente, ignorá-la, escolhe a conveniência e a paz da normalidade. Isso não faz as pessoas fracas ou fortes, ou boas ou más. Isso só as faz pessoas.
Jum Buthcer

Assim começa a jornalista Andre Werner, em seu texto no blog Lagarta vira Pupa.

Segundo a escritora, é mãe do Theo, que é autista e tem oito anos, “o autismo é mais comum do que imaginamos”. Por isso, ela vem sendo abordada por leitores que notaram sinais sutis do autismo nos filhos dos vizinhos e amigos.

E daí vem a pergunta: Como avisar a família?

Caucasian Little girl posing at the park
Caucasian Little girl posing at the park

“Infelizmente não tem uma resposta fácil para isso. Eu mesma já passei por este tipo de situação. E fiquei bem perdida, sem saber o que fazer. O que já reparei, com base na pequena experiência que tenho no assunto, é que, pais, normalmente se dividem em dois grupos: os que entram em negação e os que caem a ficha rapidamente.

Nos casos em que os pais entram em negação, é comum os pais tentarem achar justificativas para os comportamentos dos filhos. “Falam que o filho é assim porque nunca foi à escola, ou porque não tem primos ou irmãos, ou porque um dos pais não fala bem português, e poi aí vai”, diz Andrea.

Por fim, a escritora que criou o blog para dar suporte para as famílias alertou que, mesmo querendo ajudar, se você dizer o pensa, corre o risco de ficarem bravos com você. “Esteja preparado”.

Clique aqui para ler o texto completo.