Melhorar a qualidade da educação na primeira infância é chave para reduzir pobreza

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), lançou ontem, em Brasília, o relatório Os Primeiros Anos: O Bem-Estar Infantil e o Papel das Políticas Públicas. De acordo com o material, a América Latina ainda investe muito pouco em políticas voltadas ao desenvolvimento da criança na Primeira Infância (de 0 a 6 anos).

“O gasto destinado a programas efetivos para a primeira infância tem um efeito cascata positivo que se faz presente nos anos posteriores no ciclo de vida e constitui uma poderosa ferramenta para fomentar a mobilidade socioeconômica”, explicou Norbert Schady, principal assessor econômico do setor social do BID e um dos editores do estudo.

A pesquisa indica que, para cada dólar investido em crianças de até cinco anos, são investidos três em crianças entre seis e 11 anos.

O estudo coloca os investimentos em políticas para a primeira infância como fundamentais, e destaca a importância de programas que melhorem a qualidade das interações entre adultos – pais, professores, profissionais de creches – e os pequenos, em vez de concentrar-se em obras de infraestrutura.

Com informações de BID

Compartilhe:

1 / 2
1
02:01
As mentiras sobre as vacinas matam
Dr. Gonzalo Vecina, médico e fundador da Anvisa,  fala sobre as mentiras sobre as vacinas e o quanto o calendário …
2
05:29
Como o estresse interfere na saúde do bebê
Claudio Basbaum, obstetra na Maternidade de São Luiz, é conhecido como o médico que implantou no Brasil o parto humanizado. Esse …