Adolescente morre durante mutilação genital no Egito

Embora seja proibida, a prática de mutilação genital feminina ainda é bastante recorrente no país

Por: Redação

A jovem Mayar Mohamed Mousa, de 17 anos, morreu no último domingo, dia 29, após ser submetida pelo processo de mutilação genital no Egito, país em que a prática é proibida. Ainda hoje, esse procedimento afeta milhões de mulheres em todo o mundo.

“Isso é algo que a lei proibiu”, afirmou Lotfi Abdel-Samee, representante do Ministério da Saúde na província de Suez, onde o caso aconteceu. Mayar, que é filha de enfermeira com pai cirurgião, morreu por complicações enquanto estava sob anestesia geral em um hospital particular.

De acordo com informações das autoridades, a irmã da adolescente também havia passado pela cirurgia naquele dia. A operação foi realizada por uma médica registrada. Depois da ocorrência, o hospital foi fechado na segunda-feira e todos os pacientes foram transferidos.

O gerente do local e a equipe médica envolvida no procedimento foram interrogados, além dos pais da vítima.

O procedimento é proibido desde 2008 no Egito

Proibição

Desde 2008, a mutilação genital feminina é proibida no Egito, mas ainda é bastante comum, principalmente nas áreas rurais, como uma prática religiosa para muçulmanos e cristãos.

No entanto, a pena para quem desrespeitar a lei é baixa. A primeira condenação ocorreu em janeiro do ano passado, com o médico Raslan Fadl, que recebeu sentença de dois anos de prisão por homicídio e mais três meses pela mutilação de uma jovem de 13 anos que morreu durante a cirurgia.

Segundo a Unicef, atualmente existem cerca de 200 milhões de mulheres que sofreram mutilação genital em 30 países, sendo que a metade dos casos se concentra em três nações: Etiópia, Indonésia e Egito.

ONU e Egito condenam morte da jovem

As Nações Unidas e várias instituições egípcias condenaram a morte da garota de 17 anos. Em comunicado, a ONU mostrou seu “profundo pesar pelas informações recentes sobre a trágica morte (ontem) da menina Mayar Mohammed Moussa, na província egípcia de Suez, após ser submetida à mutilação genital”.

A organização também elogiou diversos comunicados do Conselho Nacional da População e do Conselho Nacional da Mulher, no Egito, que denunciaram o ocorrido.

Em nota, o Conselho Nacional da Mulher condenou “o crime horrendo cometido contra a menor de 17 anos, que morreu ontem como consequência da mutilação à qual foi submetida em um hospital privado”. Além disso, pediu a necessidade da aplicação da lei e de um maior castigo às pessoas que causaram a morte da menor.

Embora a prática seja recorrente, de acordo com a ONU, o Egito registrou “avanços positivos na luta contra a mutilação feminina”, e entre 2008 e 2014 houve uma redução de 13% do processo em jovens entre 15 e 17 anos.

Apesar desses dados, “ainda resta um longo caminho para acabar com esta prática perigosa que contradiz os direitos da mulher e das meninas, e que pode ter consequências físicas, psicológicas e inclusive pode chegar a causar a morte”, afirmou o comunicado das Nações Unidas.

Compartilhe:

1
Djonga, Criolo e Cynthia Luz comentam ‘volta’ do AI-5
A Catraca Livre e o rapper V.A.L.E, do grupo MR-13 e Batalha da Matrix, colaram no Festival Sons da Rua, …
2
Joice Hasselmann fala sobre o Pavão Misterioso e o Gabinete do Ódio
Pavão Misterioso, Gabinete do Ódio de Bolsonaro e muitas outras questões foram abordadas no depoimento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) …
3
Os principais pontos do pacote anticrime de Moro aprovado pela Câmara
A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira, 4, o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro. O conjunto de …
4
Tudo o que se sabe sobre a ação policial em Paraisópolis
No último domingo, 9 jovens morreram supostamente pisoteados durante ação realizada pela Polícia Militar na comunidade de Paraisópolis, em São …
5
PSL pune postura de Eduardo Bolsonaro e de outros 17 parlamentares
O diretório nacional do Partido Social Liberal (PSL) decidiu na terça-feira, 3, punir 18 parlamentares acusados de articular o afastamento …
6
Presidente da Funarte diz que rock leva ao aborto e ao satanismo
O músico Dante Mantovani, nomeado nesta segunda-feira, 2, como o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), possui um canal …
7
Trump decide retomar taxação ao Brasil após desvalorização do real
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um post em sua rede social anunciando o retorno das tarifas de …
8
Entenda todos os desdobramentos das prisões em Alter do Chão
Os quatro brigadistas que haviam sido presos preventivamente na operação Fogo de Sairé, da Polícia Civil do Pará, deixaram a …