Advogado dos Bolsonaro diz que não abrigou Queiroz por um ano

Wassef deu essa explicação mais de 48 horas após a prisão do ex-assessor parlamentar em Atibaia, SP

Por: Redação

Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro e dono do imóvel onde foi preso o ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz, disse que não o abrigou por um ano e que a prisão em seu imóvel foi uma armação que visou incriminar o presidente Jair Bolsonaro. A entrevista foi dada ao jornal Folha de S. Paulo.

“Estão me atribuindo coisas que não fiz. O escritório estava vazio. Os móveis estavam do lado de fora da casa. Tudo estava fora do lugar”, disse à reportagem.

wassef, advogado dos Bolsonaro
Crédito: Reprodução/TV GloboWassef diz nunca ter falado com Queiroz e que não o abrigou por um ano

Wassef também afirmou nunca ter trocado mensagens com Queiroz e que também não é o “anjo” citado na investigação do Ministério Público do Rio de Janeiro. “Nunca telefonei para Queiroz, nunca troquei mensagem com Queiroz nem com ninguém de sua família.”

A prisão de Queiroz aconteceu na quinta-feira, 18, em Atibaia, no interior de São Paulo, pela Polícia Civil e pelo Ministério Público do Estado, em cumprimento de mandado expedido pela Justiça do Rio de Janeiro. Queiroz é alvo da investigação sobre um esquema de “rachadinha” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

queiroz preso
Crédito: Divulgação/Polícia CivilQueiroz foi preso no imóvel de Wassef, advogado dos Bolsonaro

Ele estava há pelo menos um ano no imóvel de Wassef, segundo informações do caseiro que vivia em uma edícula no fundo do terreno. O imóvel era registrado como um escritório de advocacia, porém, não parecia ser um ambiente profissional, mas sim uma casa.

Representante jurídico de Flávio Bolsonaro desde junho do ano passado, Wassef foi responsável por conseguir suspender todas as investigações que se baseavam em dados do Coaf, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Além disso, também atua como advogado de Jair Bolsonaro no caso Adélio Bispo.

Saiba mais sobre quem é Wassef no link abaixo: