Ajude a inserir mulheres negras no setor de tecnologia com esta campanha

Campanha acaba nesta sexta-feira, 12! Saiba como ajudar !

Por: Redação

Ainda é difícil ver mulheres negras no setor de tecnologia: segundo a pesquisa #QuemCodaBr, mulheres e pessoas negras são apenas ⅓ dos profissionais de tecnologia e inovação.

A situação é ainda pior na área de Experiência do Usuário (User Experience), na qual apenas 15% das pessoas são pardas e 5% negras, diz estudo da empresa Zoly.

Para mudar essa realidade, o projeto UX para Minas Pretas, que trabalha para promover equidade de mulheres negras no mercado de tecnologia com foco em User Experience, lançou esta campanha de financiamento coletivo para arrecadar fundos que serão transformados em iniciativas que contribuem para capacitar e auxiliar mulheres negras a entrarem em grandes empresas do mercado de tecnologia, como bolsas de estudo, eventos online, contratação de ferramentas digitais, entre outras.

“A chegada da COVID-19 fez com que muitas meninas da nossa comunidade perdessem a motivação, empresas reduzissem as contratações de UXs Jr., outras demitissem e baixassem salários, além da diminuição das parcerias com a UXMP. O impacto disso é que atualmente temos poucos produtos e serviços democráticos, criados por equipes mais diversas e para o máximo de pessoas possíveis, ou seja, eles não são criados a partir de outros olhares. Por isso, pedimos sua ajuda para arcar e construir o melhor cenário durante a pandemia.”

Como doar ?

Para cada R$ 1 arrecadado pelo financiamento, o Fundo Colaborativo Enfrente contribuirá com mais R$ 2. São 9 faixas de valor de colaboração, a partir de R$ 10. O prazo para colaborar com a iniciativa termina no próximo dia 12/06.

“Existe uma lacuna entre as mulheres negras e empresas de tecnologia, e um dos meios de minimizar esses danos é criando ações afirmativas para que mulheres negras alcancem essas oportunidades. Nosso objetivo é cada vez mais expandir a iniciativa para outros estados e atingir o máximo de meninas”, afirma a iniciativa.

A campanha está disponível no site Benfeitoria e pode ser acessada aqui.