Últimas notícias:

Loading...

Alice Wegmann revela que chorou ao protagonizar cena de estupro

O momento foi ao ar na última segunda-feira, 30, em "Onde Nascem os Fortes"

Por: Tiago Minervino
Alice Wegmann conta que chorou após gravação de cena de estupro em Onde Nascem os Fortes

Protagonista da nova superssérie das 23h da Globo, “Onde Nascem os Fortes”, Alice Wegmann revelou em entrevista ao portal UOL que chorou depois da gravação de uma cena de estupro protagonizada por ela para o folhetim e que foi ao ar na última segunda-feira, 30.

Na sequência exibida, a personagem vivida pela atriz, Maria, sofreu uma tentativa de estupro pelo segurança de Pedro (Alexandre Nero), Jurandir (Rodrigo Garcia), que a imobilizou e tentou estuprá-la em uma fábrica do patrão.

“A gente gravou com aquela poeira toda, com caminhão passando. Foi muito desgastante, mas também a mais marcante e emocionante para mim. Durante a cena, eu corri muito e depois de gravar foram me buscar de carro”, disse.

“Quando voltei para o set, o Zé [José Luiz Villamarim, diretor da trama] estava de braços abertos. Nos abraçamos e choramos muito juntos. Nosso trabalho é isso. Essa cena mostrou tudo que a gente viveu nesse lugar”, completou.

Ainda sobre sua personagem em “Onde Nascem os Fortes”, Alice Wegmann revela que ela é uma “mulher forte, sem medo, cangaceira do sertão moderno”.

Alice Wegmann

ESTUPRO

Assim como a personagem de Alice Wegmann na ficção, na vida real muitas mulheres sofrem diariamente vítimas de estupro e assédio sexual.

Na maioria das vezes esse tipo de crime fica impune e acarreta problemas à saúde física e mental da vítima. Ainda, é importante saber que o assédio contra mulheres envolve uma série de condutas ofensivas à dignidade sexual que desrespeitam sua liberdade e integridade física, moral ou psicológica.

Lembre-se: onde não há consentimento, há assédio! Não importa qual roupa você esteja vestindo, de que modo você está dançando ou quantas e quais pessoas você decidiu beijar (ou não beijar): nenhuma dessas circunstâncias autoriza ou justifica o assédio.

Leia mais:

Compartilhe: