UFJF vai apurar denúncias de assédio sexual contra alunas

A instituição lançou a iniciativa "A Universidade é pública. Meu corpo não" para combater o assédio no ambiente acadêmico

Por: Heloisa Aun

Quase 70% das universitárias já sofreram algum tipo de violência no ambiente acadêmico. É o que mostrou uma pesquisa encomendada pelo Instituto Avon ao Data Popular, com a participação de 1.823 alunos das cinco regiões do Brasil, sendo 76% de instituições privadas e 24% de públicas. Relembre o estudo aqui.

Comentários de teor obsceno, intimidações, olhares e toques indesejados. Essas são algumas das situações de abuso sexual relatadas por alunas da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Após as denúncias, a instituição lançou a campanha “A Universidade é pública. Meu corpo não” para combater o assédio na universidade e dar visibilidade às inúmeras violências que as mulheres sofrem no dia a dia.

Como parte da ação, a UFJF pediu para as estudantes escreverem em uma cartolina alguma frase que já ouviram na faculdade‬.‬ Em entrevista ao Catraca Livre, a diretora do núcleo de Ações Afirmativas, Carolina Bezerra, afirma que “os abusos interferem no direito de ir e vir das mulheres e também no rendimento acadêmico” e que “as denúncias já estão sendo apuradas”.

A campanha fez parte das ações durante a Semana da Mulher

A proposta para lançar a iniciativa foi da própria diretoria de Ações Afirmativas, que recebeu uma série de relatos de alunas e professoras sobre assédio sexual. Por isso, durante a Semana da Mulher deste ano, a universidade promoveu palestras para discutir o tema ao lado das estudantes.

Agora, a diretoria da UFJF está pesquisando formas de acolher as vítimas e buscando estratégias para lutar contra a violência nesse ambiente. Além disso, o objetivo é inserir no currículo de todos os cursos o tema gênero e sexualidade e criar um grupo de sororidade entre alunas e professoras.

Confira mais fotos da campanha:

Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF
Foto: Reprodução/UFJF

Compartilhe:

1
Policiais Antifascismo falam sobre atuação da PM em Paraisópolis
Com 60 mil mortes violentas por ano, a questão da segurança pública no Brasil é alvo constante do debate que …
2
Roraima: violência doméstica no estado com mais mortes de mulheres
Roraima é o estado com a menor concentração de pessoas no Brasil. Ainda assim, a violência contra mulher lá é …
3
Greta Thunberg: pirralha para Bolsonaro, personalidade para Time
A jovem sueca Greta Thunberg é hoje um dos principais nomes da causa ambiental mundial. Ela transformou a sua greve …
4
Moda e consumo consciente na periferia: conheça o Brechó do Barulho
A periferia domina a moda sustentável. O movimento de trocar e emprestar sempre esteve presente nas quebradas de todo o …
5
Djonga, Criolo e Cynthia Luz comentam ‘volta’ do AI-5
A Catraca Livre e o rapper V.A.L.E, do grupo MR-13 e Batalha da Matrix, colaram no Festival Sons da Rua, …
6
Podemos decide expulsar o deputado Marco Feliciano do partido
A diretoria do partido Podemos em São Paulo decidiu na segunda-feira, 9, expulsar o deputado federal Pastor Marco Feliciano da …
7
Joice Hasselmann fala sobre o Pavão Misterioso e o Gabinete do Ódio
Pavão Misterioso, Gabinete do Ódio de Bolsonaro e muitas outras questões foram abordadas no depoimento da deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) …
8
Os principais pontos do pacote anticrime de Moro aprovado pela Câmara
A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira, 4, o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro. O conjunto de …