Últimas notícias:

Loading...

Avó salva neta de violência doméstica e estupro

Ao ser detido, homem alegou que, por ser marido da vítima, tinha direito de tratar a mulher como quisesse

Por: Redação

Uma idosa foi à polícia para denunciar o marido da neta por estupro e cárcere privado. O agressor foi preso em flagrante enquanto espancava a esposa. Segundo a polícia, ao ser detido, o homem alegou que “era direito dele, de marido, de fazer o que quisesse com ela”.

mulher vítima de violência
Crédito: IstockO Brasil é o 5º país que mais mata mulheres no mundo

A vítima, uma mulher de 33 anos, foi socorrida e está internada ferimentos grave na sexta-feira, 17. Ela era forçada a manter relações sexuais e era mantida prisioneira. O caso ocorreu em Várzea Paulista (SP).

A polícia pediu a prisão preventiva do homem.

Violência contra a mulher

O serviço pode ser considerado como “pronto socorro” dos direitos humanos pois atende também graves situações de violações que acabaram de ocorrer ou que ainda estão em curso, acionando os órgãos competentes, possibilitando o flagrante. O Disque 100 funciona diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.

As ligações podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem gratuita, de qualquer terminal telefônico fixo ou móvel (celular), bastando discar 100.

mulher agredida com o olho roxo atrás de uma foto sua rasgada sorrindo
Crédito: IStock/@photodetiMulheres são muitas vezes submetidas a relacionamentos abusivos, à violência doméstica e a tratamentos degradantes e desumanos

Feminicídio é o homicídio de mulheres como crime hediondo quando envolve menosprezo ou discriminação à condição de mulher e violência doméstica e familiar. A lei define feminicídio como “o assassinato de uma mulher cometido por razões da condição de sexo feminino”, e a pena prevista para o homicídio qualificado é de reclusão de 12 a 30 anos.

Na maioria das vezes, a violência é praticada por familiares, sendo parceiros ou ex-parceiros os mais frequentes. As mulheres negras são as mais afetadas, principalmente, por conta da vulnerabilidade social.

Está em vigor desde 2015 uma lei que considera o feminicídio crime hediondo com pena de 12 a 30 anos de prisão.